sicnot

Perfil

Cultura

Câmara do Porto promete mais cultura nos bairros

O presidente da Câmara do Porto revelou hoje que a iniciativa Cultura em Expansão, que leva eventos culturais aos bairros da cidade, vai continuar "com mais força" e ter uma componente de "programação permanente" no antigo Matadouro Municipal.

(arquivo)

(arquivo)

© Nacho Doce / Reuters

"Este é um projeto que vai continuar ainda com mais força, com parceiros privados e envolvendo muitas parcerias. Aliás, no investimento que vamos anunciar brevemente para o Matadouro, esta será uma das componentes -- será uma das programações permanentes", adiantou Rui Moreira, em declarações à Lusa.

O autarca, que assumiu o pelouro da Cultura depois da morte do vereador Paulo Cunha e Silva, falava no bairro da Pasteleira, antes de ver "O Baile", um espetáculo da coreógrafa Aldara Bizarro com a participação de sete bailarinos profissionais, cerca de 30 moradores da Pasteleira e músicos da Banda Marcial da Foz do Douro, que assinalou hoje o encerramento da segunda edição do Cultura em Expansão.

"Este é um dos projetos mais marcantes da cultura no Porto, da ligação às comunidades às associações, aos bairros, à inclusão. É a Cultura como o princípio de tudo, na sua ligação à coesão social e à economia", notou Rui Moreira.

O presidente independente referiu ainda a intenção de "criar espetáculos nos bairros e integrá-los na programação da cidade", numa ligação "biunívoca" que a Câmara promete "não abandonar".

"O projeto não pode ser, de vez em quando, a Cultura vir aos bairros. A Cultura pode também desenvolver-se nos bairros e envolver-se na cidade", explicou.

"Esta destruição das barreiras e dos muros é uma grande prioridade", acrescentou.

Para Moreira, "este projeto não pode ser efémero".

"Estes projetos foram já testados na Porto 2001 [Capital Europeia da Cultura], mas foram descontinuados. A partir do momento em que reatamos esta tradição, não a podemos abandonar", frisou.

De acordo com o presidente da Câmara, o Cultura em Expansão vai, em 2016, "continuar a percorrer" os bairros mas pretende conquistar "algumas âncoras" fora deles.

O edifício do Matadouro será uma delas, esclareceu o autarca.

A edição de 2015 do Cultura e Expansão contou com cerca de 40 eventos e, entre outras coisas, levou música ao bairro do Certo e teatro à ilha municipal da Bela Vista.

Hoje, Rui Moreira participou também na "festa" de despedido do edifício Axa, que desde 2013 era usado pela Câmara para atividades culturais mas vai ser, em dezembro, devolvido aos proprietários.

Num balanço feito este mês num comunicado, a Câmara contabilizou "900 dias de portas abertas, mais de 300 eventos gratuitos e perto de meio milhão de visitantes".

Devido ao encerramento do Axa, a Câmara do Porto começou hoje a ocupar um novo espaço devoluto na Avenida dos Aliados: a antiga dependência do Banco Montepio recebe este fim de semana o "Up Street Porto", um mercado com obras de "mais de 20 dos principais artistas do 'street art' e da ilustração".

Lusa

  • A história de João Ricardo
    10:37
  • Parceiros sociais começam hoje debate sobre salário mínimo

    Economia

    Os parceiros sociais reúnem-se hoje com o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, para iniciarem a discussão sobre a atualização do salário mínimo para o próximo ano, com as centrais sindicais e confederações patronais a assumirem posições divergentes.Em cima da mesa estarão as propostas das centrais sindicais, com a CGTP a exigir 600 euros a partir de janeiro de 2018 e a UGT a reivindicar 585 euros como ponto de partida para a negociação.

  • Os 72 golos de mais uma noite de Liga Europa

    Liga Europa

    Os 16 avos-de-final da Liga Europa começam a ganhar forma. São já 16 as equipas apuradas para a próxima fase da competição, entre elas o Sporting de Braga, que somou mais uma vitória. Em sentido inverso, o Vitória de Guimarães saiu derrotado de Salzburgo e ficou mais longe da qualificação. A 5.ª jornada da fase de grupos jogou-se esta quinta-feira e ao todo marcaram-se 72 golos. Estão todos aqui, para ver ou rever.

  • "No fim, logo se vê" se foram quatro anos de uma legislatura perdida
    1:28

    País

    Pedro Passos Coelho acusa o Governo de perder uma legislatura. O presidente do PSD diz que "no fim, logo se vê" se foram ou não quatro anos de oportunidade perdida para o país. No último Conselho Nacional antes das eleições diretas do partido, Passos acusou o Executivo de perder o rumo e apontou os casos do Infarmed e do aumento do preço da água como exemplos de desorientação.

  • Marcelo apoia novo Mecanismo Europeu de Proteção Civil
    0:44

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa considera o novo Mecanismo de Proteção Civil uma ideia muito boa, que tem todo o apoio do Governo e do Presidente da República. Marcelo apenas lamenta que o modelo não existisse durante os incêndios deste ano.