sicnot

Perfil

Cultura

Festivais de música com mais de 1,8 milhões de espectadores

Os festivais de música realizados este ano em Portugal somaram mais de 1,8 milhões de espectadores, de acordo com dados compilados e revelados hoje pela Associação Portuguesa dos Festivais de Música (Aporfest).

Numa altura em que as promotoras de festivais preparam o ano de 2016, com anúncios de bandas e venda de bilhetes, a associação faz um balanço do que aconteceu este ano, tendo contabilizado 210 festivais de música.

O Meo Sudoeste, na Zambujeira do Mar, com 188.000 espectadores em cinco dias de concertos, foi o que registou mais público, seguindo-se o Nos Alive (Algés), com 155.000 espectadores em três dias, e o festival do Crato (Portalegre), com 100.000 em quatro dias.

De acordo com a Aporfest, o número de 210 festivais deverá ser revisto, porque algumas promotoras não comunicaram ainda a realização de festivais. No entanto, o número representa um aumento de realização de eventos, comparando com os 156 festivais realizados em 2014.

Este ano aconteceram 58 novos festivais, entre os quais o Caixa Ribeira, no Porto, e o Piknic Eléctronik Lisboa, mas houve 31 festivais que em 2015 não tiveram qualquer edição, como o Fusing, na Figueira da Foz.

O calendário de festivais de 2016 conta já com várias datas anunciadas e cabeças-de-cartaz revelados.

O Boom Festival, que é bienal e acontecerá no concelho de Idanha-a-Nova de 11 a 18 de agosto de 2016, é o primeiro a esgotar, tendo vendido os bilhetes via Internet em 34 dias.

Foram já anunciadas a datas de festivais como Rock in Rio Lisboa (20, 21, 26, 27 e 28 de maio), Nos Primavera Sound (de 09 a 11 de junho, Porto), Sumol Summer Fest (24 e 25 de junho, Ericeira), Nos Alive (07, 08 e 09 de julho, Algés), Meo Marés Vivas (14 a 16 de julho, Gaia), Super Bock Super Rock (14 a 16 de julho, Lisboa), Meo Sudoeste (03 a 07 de agosto, Zambujeira do Mar), Vodafone Paredes de Coura (de 17 a 20 de agosto), Bons Sons (12 a 15 de agosto, Cem Soldos) e Reverence Festival Valada (08 a 10 de setembro, Cartaxo).

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.