sicnot

Perfil

Cultura

Ministro da Cultura diz que "está tudo em aberto" quanto ao destino da coleção Miró

O ministro da Cultura afirmou hoje que "está tudo em aberto" quanto ao destino dos quadros de Miró, apontando como prioridade a inventariação da coleção, que tanto pode ficar "depositada" a Norte como a Sul.

(Reuters)

(Reuters)

[REUTERS]

Em Braga, à margem da inauguração do Centro Interpretativo das Memórias da Misericórdia de Braga, João Soares explicou que, se aqueles 85 quadros do pintor espanhol - que pertenciam ao antigo BPN e estão agora à guarda do Estado - ficarem depositados em Lisboa, a primeira exposição deve ser no Porto e vice-versa.

O titular da pasta da Cultura disse ainda haver uma "disponibilidade muito grande" do ministério que dirige para "dialogar" com autarquias, igreja, Misericórdias e outras instituições para encontrar soluções "mais ajustadas" para valorizar o acervo patrimonial do páis.

"Está tudo em aberto", concluiu João Soares, quando questionado sobre o destino da coleção de quadros de Miró.

"Se o acervo do Miró ficar depositado em Lisboa, como espero que possa ficar num espaço nacional, a primeira exposição deve ter lugar no Norte do país para que ele seja inventariado, coisa que ainda não foi, ao longo de tantos anos ainda não foi inventariado. Se o acervo vier a ficar no Porto, também há possibilidades que ele possa ficar no Porto ou no Norte do país, a primeira exposição se deve fazer no sul do país", explicou

Na inauguração de uma obra que considerou "muitíssimo importante", o restauro do Palácio do Raio, em Braga, fruto do trabalho conjunto da autarquia bracarense e da Santa Casa da Misericórdia, João Soares salientou a importância da "colaboração" entre Estado, autarquias e outras instituições.

"É nesta lógica de cooperação com santas casas e com o poder local que nós queremos continuar a trabalhar", disse.

"Há uma disponibilidade muito grande do atual Ministério da Cultura para dialogar com as autarquias, misericórdias, com outras entidades, com a Igreja, para poder encontrar soluções que sejam as mais ajustadas para o imenso património que temos na nossa terra, numa perspetiva de valorização desse acervo, que é parte da nossa identidade enquanto país e enquanto povo, e para a multiplicação dos recursos que podem ser gerados", referiu.

O Palácio do Raio, onde está agora instalado o Centro Interpretativo das Memórias da Santa Casa da Misericórdia, projetado pelo arquiteto bracarense André Soares, foi contruído entre 1752 e 1755, sendo um dos mais emblemáticos edifícios do barroco de Braga, e pertencia ao complexo do antigo Hospital de S. Marcos, que dali saiu em 2011.

O restauro do edifício e a instalação daquele centro interpretativo tiveram um custo de 4,2 ME, financiado pelo Programa Operacional Regional do Norte e através do Fundo Jéssica.

Pelas salas do Palácio é agora possível ver mais de 500 anos da história da Misericórdia de Braga, havendo ainda salas disponíveis para exposições temporárias.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.