sicnot

Perfil

Cultura

Morreu o cantor norte-americano de soul Otis Clay

O cantor norte-americano Otis Clay, que entre os 1960 e 1980 se destacou na cena da música soul, blues e gospel, morreu na sexta-feira, aos 73 anos, anunciou a agência que o representava.

Nascido numa família religiosa de sólida formação musical, Otis Clay mudou-se para Chicago na adolescência, onde se juntou, nos anos 1960, aos Famous Blue Jay Singers, que cantavam a capella para audiências maioritariamente brancas. (Arquivo)

Nascido numa família religiosa de sólida formação musical, Otis Clay mudou-se para Chicago na adolescência, onde se juntou, nos anos 1960, aos Famous Blue Jay Singers, que cantavam a capella para audiências maioritariamente brancas. (Arquivo)

AP

Otis Clay, "faleceu inesperadamente de um ataque cardíaco", indicou a agência Heart&Soul sobre o cantor nascido em 1942, em Waxhaw, no Mississipi, nos Estados Unidos.

Clay assinou êxitos como "That's How It Is (When You're in Love)" e "Trying to Live My Life Without You" e tornou-se uma referência para músicos de soul e blues em Chicago, onde também tocaram alguns dos seus ídolos, como Muddy Waters e Sam Cooke.

Nascido numa família religiosa de sólida formação musical, Otis Clay mudou-se para Chicago na adolescência, onde se juntou, nos anos 1960, aos Famous Blue Jay Singers, que cantavam a capella para audiências maioritariamente brancas.

Em 2007, Clay recebeu uma nomeação para um Grammy pelo disco de gospel "Walk a Mile in My Shoes".

Lusa

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.