sicnot

Perfil

Cultura

Vendas de álbuns de David Bowie disparam após a morte do cantor

Os 25 álbuns da discografia do cantor britânico David Bowie, falecido na segunda-feira, aos 69 anos, vítima de cancro, subiram ao top 100 do sítio 'online' de música da Apple iTunes.

ANATOLY MALTSEV

Poucas horas depois do anúncio da morte do artista conhecido em todo o mundo, o disco "Best of Bowie" conseguiu destronar o novo trabalho da cantora Adele, intitulado "25".

Da mesma forma, o quinto disco do artista "The Rise and Fall of Ziggy Stardust" encontra-se no número três das vendas, seguido de "Purpose", de Justin Bieber, e logo depois outro álbum de Bowie, "Hunky Dory".

Também nos 'rankings' das canções há três composições do artista nas dez mais vendidas: "Space Oddity" (está em terceiro lugar), "Changes" (oitavo) e "Let's Dance" (nono).

Da mesma forma, no sítio de vendas 'online' de produtos culturais Amazon, o seu último álbum "Blackstar", que lançou apenas dois dias antes de morrer, está em primeiro lugar nas vendas tanto em formato CD como em vinil.

Também aqui "Best of Bowie" superou a procura, nomeadamente da música de Adele, e multiplicaram-se os pedidos de filmes protagonizados pelo artista de Brixton, como "Laberynth" (1986), e "Merry Christmas, Mr. Lawrence" (1983).

Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.