sicnot

Perfil

Cultura

"O Renascido" conquista cinco Prémios Bafta incluindo melhor filme e realização

A longa-metragem "O Renascido", do mexicano Alejandro González Iñárritu, conquistou hoje, em Londres, cinco prémios da Academia Britânica de Cinema e Televisão (BAFTA), incluindo melhor filme, melhor realização e melhor ator principal.

© Toby Melville / Reuters

O filme conquistou também os prémios para melhor direção de fotografia e som desta 69.ª edição dos Bafta, cuja cerimónia está a decorrer na Royal Opera House, em Londres.

Leonardo DiCaprio, que interpreta Hugh Glass em "O Renascido", ganhou o prémio para Melhor Ator, enquanto o Bafta para Melhor Atriz foi entregue à norte-americana Brie Larson pelo papel em "O Quarto de Jack", de Lenny Abrahamson.

O Bafta para Melhor Filme britânico foi para "Brooklyn", de John Crowley.

A atriz britânica Kate Winslet conquistou o prémio Bafta para Melhor Atriz Secundária pelo papel da assistente Joanna Hoffman, no filme "Steve Jobs", realizado por Danny Boyle.

O prémio de Melhor Ator Secundário foi para o britânico Mark Rylance, pelo papel de espião soviético desempenhado no filme "A ponte dos espiões", realizado por Steven Spielberg.

O filme "Spotlight" ganhou o prémio para Melhor Argumento original, assinado por Tom McCarthy e Josh Singer, e "A grande aposta", escrito por Charles Randolph e Adam McKay, conquistou o Bafta para Melhor Argumento adaptado.

Por seu turno, o ator norte-americano Sidney Poitier recebeu o Bafta honorífico pela sua contribuição para a indústria cinematográfica, tendo sido fortemente ovacionado na Royal Opera House, onde foi apresentado um vídeo pré-gravado do artista de 88 anos nascido nas Bahamas.

O britânico de ascendência nigeriana John Boyega ganhou o prémio Melhor Ator Revelação no filme "Star Wars: O despertar da força", pelo papel de Finn, um soldado ao serviço da Primeira Orden que decide juntar-se à resistência.

Este é o único Bafta decidido pelo público e votado 'online'.

O documentário realizado por Asif Kapadia sobre a vida da artista britânica Amy Winehouse, intitulado "Amy", conquistou o Bafta para Melhor Documentário nesta 69.ª edição dos galardões.

O compositor italiano Ennio Morricone, de 87 anos, conquistou o seu sexto Bafta pela banda sonora original do filme "Os oito odiados", dirigida por Quentin Tarantino.

O Bafta para o melhor filme em língua não inglesa foi para a coprodução hispano-argentina "Relatos Selvagens", do realizador argentino Damián Szifron.

"Divertidamente", filme de animação da Pixar, realizado por Pete Docter e Ronnie del Carmen, conquistou o Bafta para Melhor Animação.

Lusa

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.