sicnot

Perfil

Cultura

Festival de cinema de Berlim dedicado à crise dos refugiados

O Festival de cinema de Berlim já vai quase a meio. Mais de 400 filmes vão passar pelas várias secções do evento, este ano sob o signo da crise dos refugiados.

© Stefan Wermuth / Reuters

Alusiva a este tema é a instalação do artista chinês, Ai Weiwei, que utilizou mais de 14 mil coletes salva-vidas usados na travessia para a ilha de Lesbos, na Grécia, e os colocou na Konzerthaus de Berlim.

Neste festival há também programas que procuram integrar refugiados sírios e afegãos entretanto estabelecidos na cidade, nomeadamente ao convidá-los para assistir a algumas sessões.

O filme "L'Avenir" da francesa Mia Hansen-Love, com Isabelle Hupert, ja foi mostrado na Berlinale e é um dos 19 que compete pelo prémio máximo, o urso de ouro.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".