sicnot

Perfil

Cultura

História de ex-amante de Fidel encarregada de o matar dá um filme

A atriz Jennifer Lawrence vai ser Marita Lorenz, uma mulher com dupla nacionalidade: alemã e americana. Lorenz foi protagonista e testemunha de alguns dos principais acontecimentos do século XX. Foi amante do líder cubano e encarregada pela CIA para o matar.

HERMANN J. KNIPPERTZ

Em criança, viveu dois anos num campo de concentração nazi e foi violada por um polícia dos Estados Unidos. Na adolescência, apaixonou-se por Fidel Castro, com quem teve um filho chamado Marcos Pérez Jiménez, que presidiu a Venezuela de 1952 a 1958. Mais tarde. foi recrutada pela CIA para matar o seu amor, segundo conta a BBC Brasil.

Depois de viver um tempo com Castro, Lorenz deixou Cuba e juntou-se à luta contra o comunismo nos Estados Unidos. Foi nessa altura que foi recrutada pela CIA para a missão que acabaria por não cumprir. "Não podia matar ninguém, não havia motivo para o magoar. Podia tê-lo feito, porque me deram todas as ferramentas e treino", disse a mulher, em junho de 2015, à Rádio W da Colômbia. "É absurdo. Além do mais, eu amava-o, ele era uma pessoa fascinante, o meu primeiro amor".

Existem duas biografias sobre Marita Lorenz e, agora, a sua história vai ser exibida nos cinemas.

O filme dever-se-á chamar "Marita" e tem estreia prevista para o fim de 2017. De acordo com o site The Hollywood Reporter, o argumento deve abordar a forma como Lorenz e Castro se conheceram, quando ela tinha 19 anos, bem como o romance.

  • "O país ainda não é conhecido pela boa saúde que faz"
    1:33

    Economia

    Luís Portela, chairman da farmacêutica Bial, defende que é fundamental falar da saúde em Portugal como um negócio com futuro. O país tem investido em investigação na saúde e tem aumentado as exportações deste setor, mais até do que na área da cortiça ou dos vinhos. Luís Portela, também presidente da Health Cluster Portugal foi hoje o convidado do 10 Minutos da SIC Notícias.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.