sicnot

Perfil

Cultura

História de ex-amante de Fidel encarregada de o matar dá um filme

A atriz Jennifer Lawrence vai ser Marita Lorenz, uma mulher com dupla nacionalidade: alemã e americana. Lorenz foi protagonista e testemunha de alguns dos principais acontecimentos do século XX. Foi amante do líder cubano e encarregada pela CIA para o matar.

HERMANN J. KNIPPERTZ

Em criança, viveu dois anos num campo de concentração nazi e foi violada por um polícia dos Estados Unidos. Na adolescência, apaixonou-se por Fidel Castro, com quem teve um filho chamado Marcos Pérez Jiménez, que presidiu a Venezuela de 1952 a 1958. Mais tarde. foi recrutada pela CIA para matar o seu amor, segundo conta a BBC Brasil.

Depois de viver um tempo com Castro, Lorenz deixou Cuba e juntou-se à luta contra o comunismo nos Estados Unidos. Foi nessa altura que foi recrutada pela CIA para a missão que acabaria por não cumprir. "Não podia matar ninguém, não havia motivo para o magoar. Podia tê-lo feito, porque me deram todas as ferramentas e treino", disse a mulher, em junho de 2015, à Rádio W da Colômbia. "É absurdo. Além do mais, eu amava-o, ele era uma pessoa fascinante, o meu primeiro amor".

Existem duas biografias sobre Marita Lorenz e, agora, a sua história vai ser exibida nos cinemas.

O filme dever-se-á chamar "Marita" e tem estreia prevista para o fim de 2017. De acordo com o site The Hollywood Reporter, o argumento deve abordar a forma como Lorenz e Castro se conheceram, quando ela tinha 19 anos, bem como o romance.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Viver em Évora
    5:11
  • Ano letivo "de uma maneira geral começou bem"

    País

    O Presidente da República considerou esta sexta-feira que o ano letivo "de uma maneira geral começou bem" e defendeu a possibilidade serem feitas "correções" a situações "injustas ou discutíveis" entre os concursos que se realizam de quatro em quatro anos.