sicnot

Perfil

Cultura

Autobiografia de Bruce Springsteen é editada em Portugal em setembro

A autobiografia do músico norte-americano Bruce Springsteen, intitulada "Born to run", vai ser publicada em Portugal em setembro, em simultâneo com a edição norte-americana, revelou hoje a editora 20|20.

Owen Sweeney

O músico - que atuará em maio no Rock in Rio Lisboa - anunciou este mês que publicará a 27 de setembro, dias depois de celebrar 67 anos, uma autobiografia que escreveu ao longo dos últimos sete anos.

"Em 'Born to run' ele descreve o seu crescimento e a educação católica em Freehold, Nova Jérsia, rodeado de poesia, perigo e escuridão, que alimentavam a sua criatividade", afirma a editora portuguesa em comunicado.

O "momento fulcral" do início da carreira de Bruce Springsteen terá sido o dia em que viu uma atuação de Elvis Presley no programa televisivo "Ed Sullivan Show" em 1956. Tinha sete anos.

Na página oficial na Internet, Bruce Springsteen, considerado uma das vozes mais respeitadas da música rock americana, explica que começou a escrever a história de vida em 2009, depois de ter atuado com a E Street Band na Superbowl, a final do campeonato norte-americano de futebol.

"Escrever sobre nós próprios é uma coisa engraçada (...), mas num projeto como este o escritor fez uma promessa; mostrar o seu pensamento ao leitor. Vou tentar fazer isso nestas páginas", afirma o músico.

"Born to run", título de um dos álbuns e música mais conhecidas de Bruce Springsteen, terá também edição garantida no Canadá, França, Itália, Alemanha, Suécia, Holanda, Dinamarca, Noruega, Finlândia e Espanha.

Bruce Springsteen está atualmente em digressão nos Estados Unidos para celebrar os 35 anos do duplo álbum "The River" (1980), que teve uma recente reedição, remasterizada, com três DVD e mais de 50 músicas.

Essa digressão passará por Portugal em maio, quando o músico atuar, no dia 19, no festival Rock in Rio Lisboa, no Parque da Bela Vista.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Grupo de brasileiros em assalto milionário no Paraguai
    1:24