sicnot

Perfil

Cultura

"Montanha", de João Salaviza, representa Portugal no Festival de Cinema da UE em Hong Kong

O filme "Montanha", a primeira longa-metragem de João Salaviza, vai representar Portugal no Festival de Cinema da União Europeia em Hong Kong, que arranca no próximo sábado.

João Salaviza quando recebeu, em 2012, o Urso de Ouro no Festival de Berlim pela curta-metragem "Rafa" / Reuters

João Salaviza quando recebeu, em 2012, o Urso de Ouro no Festival de Berlim pela curta-metragem "Rafa" / Reuters

EPA


O Festival de Cinema da União Europeia (EUFF, na sigla inglesa), que conta com 17 filmes, abre com a película "Brookyln" (Irlanda) e fecha, a 11 de março, com "Goodnight Mommy" (Áustria).

"Montanha", que teve antestreia mundial no Festival de Cinema de Veneza, em setembro, e chegou às salas de cinema portuguesas em meados de novembro, vai ser exibida em Hong Kong nos dias 06 e 08 de março, de acordo com a programação do evento, de cariz anual.

O filme é sobre David, um adolescente de 14 anos que vive os primeiros amores, enfrenta um pai ausente e lida com um avô hospitalizado.

A personagem é interpretada por David Mourato, um ator não profissional, que João Salaviza encontrou entre mais de 400 candidatos. Entram ainda Chayenne Rodrigues, Maria João Pinho, Rodrigo Perdigão e Carloto Cotta, um elenco que se cruza com os filmes "Rafa" e "Arena", curtas-metragens anteriores de Salaviza.

O cartaz do festival de cinema da UE completa-se com "Halfway" (Bélgica), "Schmitke" (República Checa), "The Grump" (Finlândia), "The Anarchists" (França), "About a Girl" (Alemanha), "A Place Called Home" (Grécia), "Son of Saul" (Hungria), "Youth" (Itália), "Prince" (Holanda), "11 Minutes" (Polónia), "Marshland" (Espanha), "Stockholm Stories" (Suécia), "I am the Keeper" (Suíça), e "45 Years" (Reino Unido).

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".