sicnot

Perfil

Cultura

Lisboa e Porto acolhem "Do mudo à Perestroika", um ciclo de cinema russo

"O homem da câmara de filmar" (1929), de Dziga Vertov, e "O couraçado Potemkine" (1925), de Serguei Eisenstein, abrem, na quinta-feira, em Lisboa e no Porto, o ciclo de cinema "Do mundo à Perestroika", dedicado ao cinema russo.

O ciclo, organizado pela Medeia Filmes, começa com dois dos pioneiros da história do cinema do século XX, nomes fundamentais do cinema russo. O documentário de Dziga Vertov abrirá o ciclo no Cinema Nimas, em Lisboa, enquanto o filme de Eisenstein fará a abertura no Teatro Municipal Campo Alegre, no Porto.

Até ao verão, o ciclo exibirá 19 filmes, alguns em versão restaurada, outros inéditos em exibição numa sala comercial, escolhas "que espelham a diversidade estética de uma das mais importantes e influentes cinematografias ao longo de um século", afirma a organização.

De Sergei Eisenstein serão ainda exibidos "Outubro" (1928) - que celebra a revolução soviética de 1917 -, "Alexander Nevsky" (1938) e o épico "Ivan, o terrível" (1948-1958), encomendado por Estaline.

Da época anterior aos anos 1930, foram incluídos também no ciclo "Arsenal" (1929), filme mudo de Alexander Dovzhenko, outro dos vanguardistas, e a comédia "A casa na praça Trúbnaia" (1928), de Boris Barnet.

Já do período pós-Segunda Guerra Mundial, o ciclo apresentará, por exemplo, três filmes da realizadora Larisa Shepitko, aluna de Alexander Dovzhenko, todos em estreia em Portugal: "Asas" (1966), "Tu e eu" (1971) e "Ascensão" (1977), que lhe valeu um prémio no festival de Berlim.

Entre os realizadores contemplados neste ciclo estão ainda, por exemplo, Marlen Khutsiev, que esteve em 2015, em Lisboa, a propósito de uma homenagem na Cinemateca Portuguesa, e Nikita Mikhalkov.

De Khutsiev, com 90 anos e ainda em atividade, será mostrado "Chuva de julho" (1966). De Nikita Mikhalkov, "Peça inancabada para piano mecânico" (1977) e "Olhos negros" (1987).

O ciclo de cinema "Do mundo à Perestroika" surge depois de a Medeia Filmes ter feito uma retrospetiva dedicada ao realizador russo Andrei Tarkovsky.

Toda a programação poderá ser consultada em www.medeiafilmes.pt.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • "Juntos por Todos" hoje no palco em Lisboa
  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.