sicnot

Perfil

Cultura

Público dos museus nacionais é jovem, qualificado e mais de metade mulheres

Os visitantes dos 14 museus nacionais são na maioria jovens, de escolaridade e profissão qualificadas, com predominância feminina e de estrangeiros, revela um estudo inédito hoje divulgado pelo Ministério da Cultura, em Lisboa.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Os primeiros resultados globais do Estudo de Públicos de Museus Nacionais (EPMN) foram hoje apresentados publicamente no Palácio da Ajuda, em Lisboa, com a presença do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, e da diretora-geral do Património Cultural, Paula Silva.

O estudo foi desenvolvido ao longo de um ano, entre dezembro de 2014 e dezembro de 2015, com base em 13.853 questionários validados realizados nos 14 museus por computador em português, inglês, francês e espanhol, num público com mais de 15 anos, 47% de portugueses e 53% de estrangeiros.

De acordo com o estudo, que teve como parceiro científico o Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa (CIES-IUL), na globalidade, o perfil apurado "segue as características já conhecidas dos públicos dos museus de arte".

Nos 14 museus tutelados pela DGPC, os visitantes são qualificados em termos de escolaridade e atividade socioprofissional e com ligeira predominância feminina (56%).

Quanto à população portuguesa, o estudo indica que o perfil social dos públicos dos museus nacionais é relativamente jovem (entre os 35 e os 44 anos), mais escolarizado (67% com estudos superiores) e com predominância nas profissões de especialistas das atividades intelectuais e científicas, e com uma grande representação de trabalhadores por conta de outrem e estudantes.

O estudo indica também que os públicos nacionais têm práticas culturais muito elevadas e que também há uma percentagem elevada de estreantes nos museus (81 por cento).

Segundo a análise aos resultados, a duração da visita varia entre os 30 e os 120 minutos - dependendo da dimensão do museu e do acervo exposto - e nas motivações destacam-se o interesse pelo museu (89%) e a vontade de conhecer ou rever a exposição permanente (68%).

A motivação menos referida é a participação em atividades específicas para crianças, seniores ou outros grupos (12%).

Quanto ao perfil da origem geográfica, a nacionalidade portuguesa ascende a 47% do total e, destes, dois por cento residem noutros países. Dos 53% de estrangeiros, quatro por cento residem em Portugal.

Os públicos nacionais residem maioritariamente na Área Metropolitana de Lisboa (AML), com 56% dos visitantes, já que, nesta região, encontram-se 10 dos 14 museus, e todos no concelho de Lisboa, concluindo o estudo que, no conjunto dos museus, a proximidade geográfica é o principal fator do volume de visitantes nacionais.

Seguem-se as regiões Centro (20%) e Norte (18%), nas quais se localizam os restantes quatro museus analisados, três na região Centro e um na região Norte.

Os visitantes estrangeiros provêm de cerca de uma centena de países de todos os continentes, sobretudo da Europa (72%), entre os quais se destaca a França (um em cada quatro), e outros países com forte presença são o Brasil, a Espanha, a Itália, o Reino Unido, os EUA, a Alemanha e os Países Baixos, representando globalmente três quartos dos estrangeiros.

No espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) é visível, segundo o estudo, uma forte presença do Brasil, com 95%, mas todos os restantes cinco países que compõem a comunidade lusófona estão representados.

O EPMN - o mais representativo realizado até hoje - foi promovido pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) com o objetivo de identificar um perfil global dos públicos dos museus nacionais para, segundo a entidade, apoiar decisões sobre a futura definição de estratégias de captação, fidelização e aumento dos visitantes, e a criação de "políticas culturais que melhorem o acesso à cultura, aos museus e às suas coleções".

O estudo teve o apoio mecenático da Fundação Millennium bcp e da ONITELECOM.

Lusa

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.