sicnot

Perfil

Cultura

Paul McCartney revela que quase desistiu da música depois sair dos Beatles

O ex-Beatles Paul McCartney revelou que começou a beber muito e quase desistiu da música depois da banda se ter separado, numa entrevista que vai ser publicada esta semana.

© Benoit Tessier / Reuters

O ícone da música, agora com 73 anos, admitiu que se refugiou no álcool para lidar com o fim da banda em abril de 1970, segundo um excerto de uma entrevista à rádio BBC publicada terça-feira.

"Eu estava a separar-me dos meus amigos de longa data, sem saber se ia continuar no mundo da música", disse McCartney.

"Refugiei-me na bebida. Foi ótimo no início mas depois, de repente, não estava assim tão bem. Não estava a funcionar. Eu queria voltar ao começo da banda, por isso acabei por formar os Wings".

Os Wings - que também incluíam Linda, a mulher de McCartney -- foi formada em 1971 e começou por dar pequenos concertos não anunciadas a estudantes.

A banda teve sucesso, mas McCartney sabia que algumas críticas feitas nos primeiros tempos eram válidas, quando a sua primeira mulher, uma música novata, ainda estava a aprender a tocar teclado.

"Para ser honesto, nós não éramos assim tão bons. Nós éramos horríveis. Nós sabíamos que a Linda não tocava bem mas ela aprendeu e, olhando para trás, fico muito contente por termos conseguido", disse.

"Eu podia ter formado um grupo grande e ter chegado ao nível do Eric Clapton e do Jimmy Page e John Bonham, mas nós tornamo-nos especialistas a tocar em universidades e pequenas cidades, o que foi bastante engraçado uma vez que eu tinha estado no Shea Stadium recentemente".

McCartney disse que estava satisfeito por ter resolvido a relação tensa que tinha com o colega dos Beatles, John Lennon, antes de este ter sido assassinado em 1980.

"Fiquei muito grato por nos termos voltado a dar antes de ele ter morrido. Porque teria sido muito difícil de lidar com isso se... bem, foi difícil de qualquer maneira", disse.

Em 1982, McCartney escreveu a música "Here Today" sobre Lennon.

Depois de tocar uma parte da canção, disse: "Eu estava a pensar em todas as coisas que lhe deveria ter dito. Sou muito reservado e não gosto de me abrir muito. Por que é que as pessoas têm de saber os meus pensamentos mais íntimos? Mas uma canção é o sítio onde os posso expressar. Em "Here Today" eu digo ao John, "Gosto de ti".

"Pode-se pôr estas emoções, estas verdades por vezes profundas e estranhas, numa canção".

McCartney referiu que a rivalidade entre os Beatles e a ascensão a uma fama mundial ajudou-o a escrever algumas das suas melhores músicas.

"Quando se é jovem, há coisas mágicas que acontecem: fazer parte de uma banda, a competição com John, ser-se jovem, de repente tornar-se famoso... tudo o que vinha com bom trabalho", disse.

"Se o John aparecesse com uma canção brilhante, eu diria: 'Está bem, vamos tentar e ser ainda mais brilhantes'".

O programa estreia no sábado.

Lusa

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • A Minha Outra Pátria
    29:53
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24

    Economia

    Milhares de clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que até aqui estavam isentos de qualquer pagamento, vão começar a pagar quase 5 euros por mês por comissões de conta. A medida abrange também reformados e pensionistas e entra em vigor já em setembro. Ainda assim, os clientes com mais de 65 anos e uma pensão inferior a 835 euros por mês continuam isentos.

  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC