sicnot

Perfil

Cultura

Orchestral Manoeuvres In The Dark fecham Vilar de Mouros com bilhetes entre 25 e 50 euros

Os Orchestral Manoeuvres In The Dark (OMD), hoje confirmados pela organização fecham o cartaz do festival de Vilar de Mouros, Caminha, com o preço dos bilhetes, já disponíveis, a oscilar entre os 25 e os 50 euros.

Em comunicado a organização adiantou hoje que o cartaz evento, que vai decorrer entre 25 e 27 de agosto, abre, no palco principal com António Zambujo, Peter Murphy, Happy Mondays, The Legendary Tigerman, Peter hook, Manuel Fúria e os Náufragos.

No dia 26, sempre a partir das 19:00, actuam Orchestral Manoeuvres In The Dark(OMD), David Fonseca, Echo & the Bunnymen, Milky Chance, Linda Martini e Neev.

Já no dia 27 o alinhamento do palco principal prevê Blasted Mechanism, The Waterboys, Tindersticks, Bombino, Tiago Bettencourt e Samuel Úria.

Além do palco principal, que implica a compra de bilhete, o evento terá ainda um segundo palco, de acesso gratuito, a instalar no recinto inicial do mais antigo festival português, o "Woodstock à portuguesa", fundado em 1971, cuja programação ainda não foi revelada.

A organização do festival, a cargo da empresa Surprise and Expectation, criada em Caminha, um consórcio constituído pela Probability Makers e pela Metrónomo, adiantou ainda que o preço dos bilhetes, colocados hoje à venda oscilam entre os 25 euros por cada dia de espetáculos e os 50 euros para os três dias e inclui campismo gratuito. A entrada é gratuita para crianças dos três aos cinco anos desde que acompanhadas por um adulto portador de bilhete válido.

Anteriormente à Lusa um dos responsáveis da promotora que organiza o mítico festival, Paulo Ventura disse que a gastronomia do Alto Minho, recriada por "alguns dos melhores 'chefs' portugueses", vai juntar-se à música com uma zona 'gourmet' a instalar no recinto do palco principal do festival.

"Na área ?gourmet' queremos ter alguns dos melhores ?chefs' do país para se debruçarem sobre a cozinha regional do Alto Minho. Esta zona vai ficar instalada no local onde ficará palco principal", revelou Paulo Ventura.

De acordo com aquele responsável, o objetivo é "fazer um festival tranquilo, adulto, familiar e sem invasão de marcas para que as pessoas se possam divertir e estar em família".

"Tranquilidade é a palavra que melhor define o que queremos fazer do festival mais antigo do país e que se realiza num local lindíssimo. Queremos que as pessoas sejam felizes em Vilar de Mouros", destacou.

A Câmara de Caminha vai atribuir um apoio financeiro de 40 mil euros ao festival e transferir 15 mil euros para a Junta de Freguesia de Vilar de Mouros para a realizar de investimentos no recinto do festival.

Em 2007, a um mês da sua realização, o festival foi cancelado por dificuldades de entendimento entre os vários parceiros envolvidos na organização e foi retomado em 2014, a cargo da Associação dos Amigos dos Autistas (AMA). No final dessa edição, que marcou o relançamento do evento após um interregno de oito anos, aquela Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) anunciou o regresso, em 2015, nos dias 30, 31 de julho e 01 agosto, que viria a ser cancelada pela Câmara Municipal.

Lusa

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • "Não se pode voltar atrás, o povo de Deus confirmou a necessidade deste Papa"
    3:15
  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.