sicnot

Perfil

Cultura

Carlos do Carmo atua pela primeira vez com a Orquestra Gulbenkian

O fadista Carlos do Carmo, distinguido com um Grammy latino Carreira, em 2014, atua hoje às 21.30, pela primeira vez com a Orquestra Gulbenkian, em Lisboa, no âmbito do 60.º aniversário da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

MARIO CRUZ

Carlos do Carmo e o seu trio - José Manuel Neto (guitarra portuguesa), Carlos Manuel Proença (viola de fado) e Daniel Pinto (baixo acústico) - atuam no anfiteatro do jardim Gulbenkian, à Palhavã, em Lisboa, com a Orquestra Gulbenkian dirigida pelo maestro Rui Pinheiro.

O cantor e compositor brasileiro Ivan Lins é o convidado especial, que interpretará alguns temas com a Orquestra Gulbenkian e um dueto com Carlos do Carmo.

"Aceitei com muita honra este convite da Orquestra Gulbenkian, que representa uma instituição que tenho como referência histórica da cultura portuguesa e de uma importância inigualável", afirma Carlos do Carmo em comunicado enviado à Lusa.

Referindo-se a Ivan Lins, o criador de "Canoas do Tejo" afirma: "Nada melhor do que convidar um amigo e grande músico, Ivan Lins, para em conjunto partilharmos este momento que considero como uma distinção".

Segundo informação da FCG, além de Ivan Lins (voz e piano), e do trio de músicos de Carlos do Carmo, participam também os músicos Cláudio Ribeiro (guitarra) e Chris Wells (percussão e bateria).

Carlos do Carmo, com uma carreira de mais de 50 anos, é filho da fadista Lucília do Carmo, e foi o primeiro artista português a receber um Grammy latino Carreira, a soprano Elisabete Matos tinha sido distinguida no universo da música clássica, na primeira edição dos Grammy latinos, em 2000.

Em 2013, quando celebrou 50 anos de carreira, Carlos do Carmo editou o álbum, "Fado é amor", que gravou em duo com vários fadistas, entre eles, Ricardo Ribeiro, Camané, Mariza, Raquel Tavares e Marco Rodrigues.

"Canoas do Tejo", "Os putos", "Lisboa, menina e moça", "Por morrer uma andorinha", "Bairro Alto", "Vem, não te atrases", "pontas soltas", "O homem das castanhas", "Um homem na cidade", são alguns êxitos que pontuam a sua carreira.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.