sicnot

Perfil

Cultura

Belmondo e Skolimowski galardoados com Leão de Ouro em Veneza pelas carreiras

O ator francês Jean-Paul Belmondo e o realizador polaco Jerzy Skolimowski foram galardoados com o Leão de Ouro no Festival de Veneza pelas suas carreiras, anunciou hoje a organização.

© Eric Gaillard / Reuters

A decisão foi tomada pela direção da bienal de Veneza, que organiza o festival de cinema, cuja 73.ª edição se realiza este ano entre 31 de agosto e 10 de setembro.

A eleição de Belmondo e Skolimowski foi proposta pelo diretor da mostra veneziana, Alberto Barbera, de acordo com um comunicado do festival citado pela agência espanhola Efe.

Trata-se da primeira vez que o festival concede este galardão, que passa agora a ser atribuído todos os anos em duas categorias: realização ou carreiras no âmbito da realização, e ator ou atriz ou representantes do mundo da interpretação.

Jean-Paul Belmondo, "ícone do cinema francês e internacional, soube interpretar como ninguém a inspiração da modernidade típica da 'nouvelle vague' através dos personagens alienados de 'À double tour' (1959), de Claude Chabrol; 'O Acossado' e "Pedro, o Louco', ambos de Jean-Luc Godard", declarou o festival.

A organização do evento destaca especialmente a forma como Belmondo veste a pele de Michel Poiccard/Lászlo Kovacs em "O Acossado", em que compôs "a figura do anti-herói provocador e sedutor, muito diferente dos estereótipos hollywoodianos em que se inspirava o próprio Godard".

Belmondo mostra "um rosto maravilhoso, uma simpatia irresistível, uma versatilidade extraordinária", declarou Alberto Barbera.

Quanto a Skolimowski, acrescentou o diretor do festival, o polaco é um dos "cineastas mais representativos daquele cinema moderno nascido com as 'nouvelles vagues' dos anos sessenta e, com Roman Polansky, o realizador que mais contribuiu para a renovação do cinema polaco na época".

A trilogia realizada na Polónia na sua juventude, "Ryopsis" (1964), "Walkover" (1965) e "Muro" (1966) "foi para todos os países de leste o que os primeiros filmes de Godard foram para o cinema ocidental", considerou Barbera.

As películas mais recentes do realizador polaco - "Quatro noites com Ana" (2008), "Essential killing" (2010, prémio especial do júri em Veneza) e "11 minutos" -- "manifestam uma capacidade inesgotável e surpreendente de renovação, que o colocam por direito próprio entre os autores mais combativos e originais do cinema contemporâneo", de acordo com o festival.

O realizador de "Quatro noites com Anna", que marcou o seu regresso ao cinema após 17 anos em que se dedicou à pintura, venceu em 2015 em Portugal o prémio de Melhor Filme do Lisbon & Estoril Film Festival com "11 minutos", filme que nesse ano foi também nomeado para o Leão de Ouro no Festival de Veneza e que o comité da Polónia escolheu para candidato ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2016.

Lusa

  • O dia em que o Brexit começa
    1:25

    Brexit

    A primeira-ministra britânica já assinou a carta que vai enviar ao Conselho Europeu para formalizar a vontade do Reino Unido de sair da União Europeia. O artigo 50.º do Tratado de Lisboa será ativado nas próximas horas. Na véspera, Theresa May recebeu da Escócia um novo contratempo político.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Governo vai dar mais meios à investigação criminal
    2:34

    País

    A ministra da Justiça garante que o Governo vai dar mais meios à investigação criminal, mas assegura que não vai mexer nos prazos dos inquéritos. A questão tem sido insistentemente levantada pela defesa de José Sócrates, que se queixa de que a Operação Marquês já ultrapassou todos os prazos.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.