sicnot

Perfil

Cultura

Galerista que lançou petição preferia que coleção Miró circulasse no país

O galerista Carlos Cabral Nunes, que lançou em 2014 uma petição para a manutenção da coleção Joan Miró em Portugal, concorda que a coleção Miró fique no Porto, mas preferia que circulasse por todo o país.

Contactado pela agência Lusa na sequência do anúncio do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, Carlos Cabral Nunes mostrou-se satisfeito por o Governo ter decidido que a coleção Miró fique em Portugal e seja exibida ao público.

"É meritório que Serralves mostre as obras, mas vai deixar algumas de fora, o que não é bom, porque seria importante que os portugueses conhecessem a sua totalidade", defendeu o galerista, acrescentando que também é bom ser acolhida por um espaço no Porto, mas defende a itinerância como "essencial".

A circulação, sustenta, "deveria ser acompanhada por um debate público para que se perceba qual é o sentimento da sociedade sobre a coleção Miró, se as pessoas acham que deve ficar toda em Portugal ou não".

Para Carlos Cabral Nunes, o facto de o Museu de Serralves estar a preparar a exposição da maioria das obras - mas não todas - e o facto do ministro da Cultura ter afirmado que o Governo pondera ainda se ficará com parte delas ou a totalidade, "é uma opção negativa".

"O conjunto das obras, cuja importância já está reconhecida, deveria ficar em Portugal, circular pelo país e também pelos territórios de língua portuguesa, sobretudo o Brasil, onde as exposições da obra gráfica de Miró têm feito um enorme sucesso", sustentou.

O galerista receia que um próximo Governo tenha uma opinião diferente e que decida alienar a coleção, daí que, na sua opinião, "o consenso nacional sobre as 85 obras de Miró seja importante".

Depois de ter sido lançada, em janeiro de 2014, a petição pública em defesa da manutenção em Portugal das obras de Joan Miró (1893-1983) na posse do Estado português -- através das empresas Parups e Parvalorem - desde a nacionalização do Banco Português de Negócios (BPN), em 2008, atingiu as 10.500 assinaturas, e chegou a ser debatida no parlamento.

O leilão das obras em Londres, pela Chritie´s, foi adiado por duas vezes "por razões comerciais e judiciais" devido aos processos interpostos pelo Ministério Público em Portugal para impedir a saída das obras do país.

As ações judiciais foram justificadas com a "defesa do património cultural e dos bens do Estado".

Os peticionários defendiam a manutenção da coleção no país e um debate público sobre o seu valor e o destino a dar às obras, e Carlos Cabral Nunes chegou a obter a autorização do colecionador e empresário José Berardo para exibir as obras no museu, no Centro Cultural de Belém, mas a Parvalorem nunca autorizou a exibição.

Lusa

  • Governo quer coleção Miró no Porto

    País

    ​O ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, revelou hoje que "é desejo do Governo que os Mirós fiquem no Porto", justificando que "já existem em Lisboa muitos museus" de arte moderna e contemporânea.

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.