sicnot

Perfil

Cultura

Descoberto cadáver do século XI a.C. na Grécia

Um cadáver com 3.000 anos foi descoberto no monte Lykaion, na península Peloponeso, na Grécia, e a sua morte poderá ser resultado de um ritual de sacrifício humano, revelou uma arqueóloga grega.

Segundo Anna Karapanagiotou, os restos mortais, provavelmente de um homem jovem, foram descobertos há algumas semanas no cimo do monte Lykaion, antigo local de culto de Zeus, por uma equipa greco-americana.

A arqueóloga, chefe dos serviços arqueológicos locais, qualificou esta descoberta como única, acrescentando que este achado "vai trazer uma nova luz em relação aos rituais praticados nesta época", declarou à rádio de Atenas.

"Várias fontes posteriores -- 700 anos mais tarde -- evocaram sacrifícios humanos nesta montanha. Tudo será estudado", continuou a arqueóloga.

O corpo, que apenas tem o maxilar inferior, foi enterrado no centro do altar numa cavidade na rocha.

A data desta descoberta -- século XI a.C. -- pode ser determinante para confirmar a hipótese de um sacrifício humano, uma vez que este período corresponde à queda da civilização micénica, a idade do bronze, substituída pelos invasores dóricos que utilizavam armas de ferro.

O culto de Zeus era praticado no cimo da montanha que funcionou durante séculos, desde o ano de 1.600 a.C., lembrou a chefe das escavações.

Lusa

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),