sicnot

Perfil

Cultura

Paredes de Coura anuncia Benjamin Clementine, Car Seat Headrest, Foals e Ty Segall

O festival Paredes de Coura, que em 2017 assinala os 25 anos, anunciou como primeiras confirmações para a edição do próximo ano os nomes de Benjamin Clementine, Car Seat Headrest, Foals e Ty Segall.

Os quatro nomes representam também o anúncio de quatro regressos de artistas que passaram por Portugal ao longo deste ano: Benjamin Clementine esteve nos coliseus do Porto e Lisboa, Car Seat Headrest e Ty Segall no Primavera Sound do Porto, e Foals no Alive, em Lisboa.

As quatro primeiras confirmações do Vodafone Paredes de Coura, que vai realizar-se na praia fluvial do Taboão entre 16 e 19 de agosto de 2017, foram reveladas através de um anúncio feito num vídeo em direto para os fãs no Facebook.

A organização do festival recordou em comunicado que todos os artistas lançaram álbuns entre o ano passado e este, estando prevista a edição por Ty Segall de novo disco em janeiro.

O pacote para fãs inclui o passe para o evento e uma t-shirt, pelo preço de 75 euros.

Lusa

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho