sicnot

Perfil

Cultura

Promotores de festivais e espectáculos criam associação para defender o setor

Mais de vinte promotoras de festivais e espetáculos criaram uma associação, a APEFE, e uma das primeiras iniciativas prometidas é saber qual o valor do setor, como afirmou à agência Lusa o presidente, Jorge Lopes.

"Queremos fazer um estudo sobre o setor, avaliar o mercado, ter um espelho do que vale, sabendo que já investimos muito na promoção dos festivais no estrangeiro e que isto é importante para o turismo, para a cultura, para a economia", referiu o promotor da PEV Entertainment.

A Associação de Promotores de Espetáculos, Festivais e Eventos (APEFE), constituída formalmente em novembro, conta, entre os associados, com promotoras como Everything is New, Música no Coração, Ritmos, UAU, Ritmos & Blues, Better World, Ao Sul do Mundo, Sons em Trânsito, Uguru e Regiconcerto.

Segundo Jorge Lopes, os 26 promotores que estiveram presentes na reunião fundadora representam 90 por cento dos espetáculos ao vivo e festivais de música que acontecem em Portugal. Estão representados, por exemplo, os festivais Nos Alive, Super Bock Super Rock, Rock in Rio Lisboa, Marés Vivas, Paredes de Coura ou Misty Fest.

A direção, com mandato de dois anos, integra Jorge Lopes (PEV Entertainment), Álvaro Covões (Everything is New), Paulo Dias (UAU), Sandra Faria (Força de Produção) e Ana Rangel (Plano 6).

De acordo com os dados mais recentes sobre o setor, do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2015 os espetáculos ao vivo geraram 59,6 milhões de euros de receitas. Jorge Lopes estima que o valor do mercado seja três vezes superior, já que aquela verba diz respeito sobretudo a bilheteiras.

Segundo o INE os espetáculos ao vivo - que englobam concertos de pop, rock, fado, ópera, teatro, dança ou circo - registaram 12,5 milhões de espectadores, dos quais apenas 3,9 milhões pagaram bilhete.

Além de fazer um estudo de mercado, a APEFE quer criar grupos de trabalho que sirvam de interlocutores junto do Governo e de entidades que estão ligadas ao setor, para questões ligadas, por exemplo, a fiscalidade, segurança, direitos de autor e regulamentação da atividade.

"Há muito que existia necessidade de criar uma associação destas, que juntasse todos os promotores, porque há muitas questões que têm estado a ser discutidas e decididas em separado. Há legislação que foi feita para esta atividade e os promotores não foram ouvidos", disse Jorge Lopes.

Nesse diálogo que pretendem encetar com o Governo, nomeadamente com a tutela da Cultura e da Economia, está ainda a reivindicação da descida do imposto IVA de 13 por cento para seis por cento.

Jorge Lopes recordou que qualquer entidade inscrita como promotora na Inspeção-Geral das Atividades Culturais pode associar-se à APEFE.

A Ao Sul do Mundo, a Mandrake, a Live Act, a Primeartists, a Produtores Associados e a Ruela Music são outras entidades que já fazem parte da APEFE.

O atual Governo inscreveu no Orçamento do Estado para 2017 uma proposta de regulamentação do registo dos profissionais do setor das atividades artísticas, culturais e de espetáculo.

Lusa

  • Os concertos a ver em 2017
    4:55

    Cultura

    Há mais concertos neste ano de 2017. Portugal vai receber grandes nomes da música: desde estreias, como Ariana Grande a repetentes, como Bruno Mars, que atua em Lisboa no início de abril.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC