sicnot

Perfil

Cultura

Pedro Almodóvar vai presidir ao júri do festival de Cannes

© Kena Betancur / Reuters

Pela primeira vez em 70 edições, o júri do Festival de Cinema de Cannes vai ser presidido por um cineasta espanhol, o emblemático Pedro Almodóvar - a quem nunca foi atribuída a Palma de Ouro.

Este ano caberá a Pedro Almodóvar e restantes jurados atribuir a mais alta recompensa do festival de cinema, que decorrerá entre 17 e 28 de maio.

"Estou muito feliz por festejar o 70º aniversário do Festival de Cinema de Cannes nesta função tão privilegiada. Estou reconhecido e honrado e estou nervoso!", declarou o cineasta de 67 anos em comunicado, citado pela agência France Press.

"Ser presidente do júri é uma grande responsabilidade e espero estar à altura das circunstâncias. Posso dizer-vos que me vou dedicar de corpo e alma a esta função, que é um prazer e um privilégio", acrescentou.

Almodóvar já fez parte do júri deste festival, em 1992, sob a presidência de Gérard Depardieu. A Palma de Ouro foi atribuída a "As melhores intenções" do realizador dinamarquês Bille August.

Cinco dos seus filmes já estiveram em competição em Cannes - "Tudo sobre a minha mãe", "Volver", "Abraços desfeitos", "A pele onde eu vivo" e "Julieta" no ano passado - mas nenhum recebeu a Palma de Ouro.

  • "É abusivo falar de fuga ao fisco"
    4:10

    Economia

    Dez mil milhões de euros é o valor de que se fala das transferências para contas offshore, que terão escapado à Autoridade Tributária. O número impressiona, mas é preciso notar que este dinheiro é capital que sai do país e o capital não está sujeito ao pagamento de imposto só porque sai do país. O fiscalista Tiago Caiado Guerreiro esteve no Jornal da Noite para dar mais explicações sobre o caso.