sicnot

Perfil

Cultura

Morreu o lendário guitarrista Chuck Berry

© Eric Gaillard / Reuters

O lendário guitarrista norte-americano Chuck Berry morreu este sábado aos 90 anos, em casa, na cidade de St Charles, no estado do Misouri, anunciou o departamento de polícia local.

A notícia foi confirmada ao jornal britânico The Guardian por um porta-voz do departamento da polícia de St Charles, que tinha avançado a informação na sua página na rede social Facebook.

Chuck Berry, uma lenda do 'rock and roll', tinha anunciado em outubro, por altura do seu 90.º aniversário, que iria editar um novo álbum.

A polícia de St Charles adiantou ter respondido a uma chamada de emergência pelas 12:40 locais (17:40 em Lisboa). O óbito de Chuck Berry foi declarado às 13:26 locais (18:26), depois de lhe terem sido aplicadas manobras de reanimação.

Charles Edward Anderson Berry nasceu a 18 de outubro de 1926 na cidade de Saint Louis, no Misouri, e começou a tocar guitarra no liceu.

Na adolescência foi preso por tentativa de roubo e passou três anos num centro educativo, depois disso trabalhou durante algum tempo numa fábrica.

A carreira musical começou aos 15 anos, quando tocou uma versão de "Confessin' the Blues", de Jay McShann, numa festa da escola que frequentava.

Na década de 1950, Chuck Berry começou a dedicar-se à música a tempo inteiro. Nessa altura, formou um trio com o baterista Ebby Harding e o teclista Johnnie Johnson.

Em 1957, editou o seu primeiro álbum de originais, "After School Session".

O último, "Rock it", data de 1979. Apesar disso, a música de Chuck Berry manteve-se viva noutras décadas, tendo feito parte da banda sonora de filmes como "Regresso ao Futuro" e "Pulp Fiction".

Em 1977, a agência espacial norte-americana NASA enviou para o espaço dois discos com música representativa do que era criado na Terra.

Entre as escolhas estava "Johnny B.Goode", de Chuck Berry, a única canção de 'rock and roll' na lista.

O músico foi também responsável, entre outros sucessos, por "Sweet Little Sixteen" e "Roll Over Beethoven".

Em palco criou uma maneira de andar que músicos como Angus Young, dos AC/DC, imitaram.

Sobre ele, Stevie Wonder disse ser o "único verdadeiro rei do rock and roll". Já John Lennon defendia que se "se tivesse de dar um outro nome ao 'rock and roll' poder-se-ia chamar-lhe Chuck Berry".

Num livro editado no passado, "But What If We're Wrong?", sobre o que vai permanecer da cultura 'pop' para o futuro, o crítico Chuck Klosterman nomeou Chuck Berry como a derradeira figura do rock: "A figura de Chuck Berry é a mais pura destilação daquilo que entendemos como música rock. As canções que fez são essenciais, mas secundárias em relação a quem ele foi e por que as fez. Ele é a ideia em si".

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • EUA negam ter declarado guerra à Coreia do Norte

    Mundo

    Os Estados Unidos negaram esta segunda-feira ter declarado guerra à Coreia do Norte e frisaram que Pyongyang não pode disparar contra os seus aviões em águas internacionais, em resposta a uma ameaça do ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.