sicnot

Perfil

Cultura

Teatro da Comuna assinala 45 anos de teatro com estreia de "Henrique IV" de Pirandello

ANDRE KOSTERS

A loucura e as várias máscaras que a humanidade utiliza, consoante as funções que desempenha, são o tema da peça "Henrique IV", de Luigi Pirandello, que o Teatro A Comuna estreia no dia 27, para assinalar os 45 anos da companhia.

Com versão cénica e encenação de João Mota, "Henrique IV" gira em torno "da realidade e da fantasia, da tensão e da loucura, e faz-nos pensar sobre quem são afinal os loucos", disse à agência Lusa o encenador João Mota.

Com esta nova produção sob nome próprio, que sucede a "O terrorista elegante", de Mia Couto e José Eduardo Agualusa, em outubro último, a Comuna tem ainda por objetivo comemorar os 60 anos de carreira de João Mota e os 50 de Carlos Paulo, fundadores da companhia.

ANDRE KOSTERS

Esta peça, a última escrita por Luigi Pirandello, em 1921, é um drama em três atos que se centra num homem que perde a memória, ao cair de um cavalo, acabando por se assumir como Henrique IV, personagem que representava numa festa de carnaval, acabando por viver a ficção.

Ao fim de 15 anos, porém, acaba por admitir ter recuperado a memória há muito, tendo preferido viver a farsa.

João Mota sublinhou que esta é a peça que prefere do dramaturgo italiano, já que "questiona a própria natureza humana", explorando os limites entre a loucura e a lucidez.

"Esta peça acaba também por nos fazer refletir sobre as várias personagens que assumimos ao longo do dia. Para falarmos com a mãe desempenhamos um papel, no trabalho, outro, com os amigos, outro, e assim sucessivamente. E esta peça também nos faz pensar muito sobre isso", disse.

É uma peça sobre "o faz-de-conta que qualquer ser humano acaba por viver no dia-a-dia", frisou.

ANDRE KOSTERS

Com tradução de Margarida Periquito, "Henrique IV" é interpretada por João Mota, Custódia Gallego, Carlos Paulo, Guilherme Filipe, Hugo Franco, Maria Ana Filipe, Igor Sampaio, Miguel Sermão, Francisco Pereira de Almeida, Rogério Vale e Gonçalo Botelho. "Henrique IV", que teve hoje um ensaio averto à imprensa, vai estar em cena até 28 de maio, com espetáculos de quarta-feira a sábado, às 21h30, e aos domingos, às 16h00, na sala nova do teatro A Comuna.

A 30 e 31 de maio subirá ao palco do pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52