sicnot

Perfil

Cultura

Produtores e realizadores temem "novo ano zero" no cinema por atrasos nos concursos

Danish Siddiqui

14 associações do cinema e audiovisual português temem "um novo ano zero" na produção nacional, com "consequências catastróficas" para o setor, por causa do atraso na abertura de concursos de apoio financeiro deste ano, afirmaram em comunicado.

As associações, que representam produtores, realizadores, programadores e técnicos, divulgaram hoje um apelo ao primeiro-ministro, António Costa, para que evite uma paralisação do cinema português, já que o Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) ainda não publicou o calendário de concursos de 2017.

As listas de júris que decidem que projetos recebem apoio financeiro foram aprovadas no início de abril pela Secção Especialidade de Cinema e Audiovisual (SECA) e a tutela tinha garantido que a abertura de concursos aconteceria até ao final desse mês.

"Enquanto ministro e secretário de Estado da Cultura continuam a produzir declarações públicas de que os concursos vão abrir - sempre "em breve" - como ainda há 10 dias o fizeram na Assembleia da República, confirmando um montante de 18 milhões de euros para esse efeito, a verdade é que o Instituto de Cinema está há quatro meses absolutamente paralisado", escrevem aquelas associações.

Entre os subscritores do apelo estão a Associação Portuguesa de Realizadores, a Associação de Produtores de Cinema Independente, a agência Portugal Film, os festivais Curtas de Vila do Conde, Doclisboa e Indielisboa e os sindicatos SINTTAV, CENA e STE.

"O sucessivo adiamento da abertura dos concursos arrisca tornar-se num novo ano zero para o cinema português (como foi o terrível ano de 2012), com consequências catastróficas para todo o setor", lamentam.

Esta semana, questionada pela agência Lusa sobre a abertura dos concursos de apoio financeiro, fonte da secretaria de Estado da Cultura referiu que seria "nos próximos dias".

Aquelas estruturas do cinema e audiovisual apelam a António Costa que "intervenha para pôr cobro a este sucessivo adiamento e para não deixar paralisar totalmente a atividade do cinema em Portugal".

O atraso da publicação do calendário de concurso acontece numa altura em que a tutela está ainda a rever a alteração da regulamentação da lei do cinema e aguarda a publicação das Portarias de Extensão de Encargos por parte do Ministério as Finanças.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC