sicnot

Perfil

Cultura

Dia Nacional dos Cientistas: Na Linguateca guardam-se mais de 2 mil milhões de palavras em português

Geralt

De Oslo, na Noruega, onde dá aulas, Diana Santos coordena a Linguateca, uma biblioteca não de livros, mas de palavras. Ao todo, são mais de dois mil milhões de palavras em português, 'arrumadas' em textos dispostos num portal com domínio ".pt". Hoje, em Leiria, Diana participa na conferência "Os caminhos do conhecimento", no painel "José Mariano Gago - documentar o corpo linguístico da ciência".

Na conferência, que junta cientistas, políticos, empresários, professores e artistas, é esperada a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do ministro da Ciência, Manuel Heitor.

Trata-se de uma iniciativa anual coorganizada pela Ciência Viva - Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica.

O Dia Nacional dos Cientistas, que hoje se assinala, pretende "celebrar e reconhecer o papel dos cientistas na sociedade portuguesa".

A linguateca

A 'biblioteca' da língua portuguesa tem para consulta listas de publicações (livros, capítulos de livros, atas, 'posters', teses, artigos de conferências científicas, relatórios e monografias), de empresas e associações que trabalham com o idioma, glossários especializados, conjugadores verbais, tradutores automáticos e analisadores sintáticos ou morfológicos.

Existem também artigos do jornal comunista Avante! e 309 obras de 55 autores portugueses, desde "Carta a el-rei D. Manuel sobre o achamento do Brasil", escrita por Pero Vaz de Caminha em 1500, a "Memórias III", tomo redigido por Raul Brandão em 1933.

Diana Santos explicou que a Linguateca permite aos linguistas obterem material de estudo da língua e dá às empresas de 'software' informático estrangeiras ferramentas para desenvolverem, por exemplo, um corretor ortográfico para português.

Criada em 1999, na sequência de uma discussão pública em Lisboa sobre o processamento computacional da língua portuguesa, a Linguateca funciona como "um serviço à comunidade", como sintetizou à Lusa Diana Santos, há 25 anos na Noruega.

Sem financiamento desde 2011 - o que impede a renovação do portal para o tornar mais acessível e atrativo para as pessoas e a constituição de uma equipa técnica que possa em permanência rever os conteúdos e anotações -, a Linguateca é para "toda a gente", apesar de linguistas, engenheiros da linguagem ou programadores de 'software' informático serem o seu público-alvo.

O acesso ao portal é gratuito e não necessita de palavra-chave ou de inscrição. Uma rede de especialistas portugueses distribuída pelo país e estrangeiro responde a dúvidas.

"O padrinho"

A Linguateca, a 'biblioteca' da língua portuguesa, teve um 'padrinho', o físico e ex-ministro da Ciência José Mariano Gago, que morreu em 2015 - a data do seu nascimento, 16 de maio, foi instituída como Dia Nacional dos Cientistas.

Existem também artigos do jornal comunista Avante! e 309 obras de 55 autores portugueses, desde "Carta a el-rei D. Manuel sobre o achamento do Brasil", escrita por Pero Vaz de Caminha em 1500, a "Memórias III", tomo redigido por Raul Brandão em 1933.

Como este, todos os restantes corpos linguísticos da Linguateca portuguesa são uma série de textos anotados com informação relacionada com o seu conteúdo, como a categoria gramatical de cada palavra, estrangeirismos, tempo verbal, funções sintáticas, temas e expressões idiomáticas.

Com Lusa

  • Condutora que atropelou peregrinos "internada compulsivamente"

    País

    A condutora do veículo que hoje atropelou seis peregrinos na Estrada Nacional 365, em Alcanena, apresentava problemas do foro psicológico e teve de ser internada compulsivamente. O atropelamento esta madrugada fez uma vítima mortal, um homem, e feriu cinco pessoas, uma das quais em estado grave.

  • Maduro deve ser reeleito em eleições contestadas pela oposição
    1:46

    Mundo

    Os venezuelanos elegem hoje o Presidente que deverá estar à frente do país até 2025. Há quatro candidatos, mas Nicolás Maduro é o favorito na corrida. A oposição apelou ao boicote e vários países da América e das Caraíbas, os EUA e a UE já avisaram que não reconhecerão resultados de uma eleição que não é livre nem transparente.

  • A solução de Elon Musk para os engarrafamentos em Los Angeles
    1:23