sicnot

Perfil

Desporto

Fernando Santos apela "à paz" no futebol nacional para o "bem de todos"

O selecionador português de futebol apelou esta sexta-feira "à paz, à concórdia e diálogo" entre os clubes nacionais para o "bem de todos" e continua à espera, com "serenidade", da decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

"Como selecionador e se calhar mais como cidadão, cumpre-me apelar à paz, à concórdia e ao diálogo, para bem do futebol, da sociedade, de todos" afirmou Fernando Santos em declarações aos jornalistas, em referência às recentes 'guerras' no futebol nacional, sobretudo entre Benfica, Sporting e FC Porto. (Arquivo)

"Como selecionador e se calhar mais como cidadão, cumpre-me apelar à paz, à concórdia e ao diálogo, para bem do futebol, da sociedade, de todos" afirmou Fernando Santos em declarações aos jornalistas, em referência às recentes 'guerras' no futebol nacional, sobretudo entre Benfica, Sporting e FC Porto. (Arquivo)

Michel Euler / AP

"Como selecionador e se calhar mais como cidadão, cumpre-me apelar à paz, à concórdia e ao diálogo, para bem do futebol, da sociedade, de todos" afirmou Fernando Santos em declarações aos jornalistas, em referência às recentes 'guerras' no futebol nacional, sobretudo entre Benfica, Sporting e FC Porto.

Em breves declarações aos jornalistas antes de entrar para um almoço da terceira edição do Curso Mundial de Formação de Dirigentes Associativos da Diáspora, em Oeiras, o selecionador luso garantiu que vai aguardar com "serenidade" a decisão do TAS, que será conhecida a 20 de março.

"Sinceramente, já esperava por esta altura que a decisão já fosse conhecida, mas resta-me esperar com serenidade", referiu. 

Fernando Santos garantiu ainda que visionou "muitos vídeos" e conhece "muito bem" a seleção da Sérvia, próximo adversário de Portugal na fase de qualificação para o Euro2016, e abordou a paragem do campeonato da Grécia, país onde treinou, além da seleção, o AEK Atenas, Panathinaikos e PAOK Salónica.

"E não diria que existe fanatismo. É um país onde os adeptos colocam uma grande carga emotiva nos clubes e nos jogos, sobretudo nos clubes com maior representação. Dentro de campo, nunca tive qualquer problema, mas fora de campo vivi algumas situações", revelou o treinador de 60 anos.

Portugal defronta a Sérvia a 29 de março, no Estádio da Luz, no quarto jogo da seleção lusa no Grupo I de apuramento para o Europeu de 2016. A formação de Fernando Santos ocupa o segundo lugar do agrupamento com menos um ponto e também menos um jogo que a Dinamarca, que é líder.
Lusa
  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.