sicnot

Perfil

Desporto

Relatório independente acusa antigos dirigentes da UCI de protegerem Lance Armstrong

Um relatório elaborado por uma comissão independente considera que alguns dos antigos dirigentes da União Ciclista Internacional (UCI) protegeram Lance Armstrong nos escândalos de 'doping' para tentarem salvar a reputação da modalidade.

Reuters

No relatório hoje divulgado, a Comissão Independente para a Reforma do Ciclismo (CIRC) considera que "houve um tratamento preferencial" ao norte-americano, vencedor de sete edições da Volta a França.

"A UCI viu-o como uma figura ideal para o renascimento do ciclismo depois do escândalo com a Festina, em 1998", refere o relatório, considerando que a nacionalidade de Armstrong abriu um novo continente ao ciclismo e a sua condição de sobrevivente a um cancro rapidamente "o transformou numa estrela".

Segundo o documento, "a UCI não conseguiu perceber que Armostrong, o herói que sobreviveu a um cancro e era um ídolo para os adeptos, tinha os mesmos direitos e obrigações" de qualquer outro ciclista.

O atual presidente da UCI, Brian Cookson, referiu que o relatório mostra que, no passado, o organismo "sofreu bastante com a má governação de indivíduos que tomaram decisões cruciais, que minaram os esforços de luta contra o 'doping'".

Cookson, que assumiu a presidência da UCI em 2013, não referiu nomes, mas o relatório aponta 'o dedo' aos dois anteriores presidentes da UCI, Hein Verbruggen e Pat McQuaid.

Apesar de não ter encontrado ligação entre doações, no valor de 125.000 dólares, feitas por Armostrong à UCI e o encobrimento de atos ilícitos do ciclista, a comissão considera que tais atos levantam suspeitas.

Segundo o relatório, Armostrong foi autorizado em 1999 a entregar, com efeitos retroativos, uma receita médica para evitar uma sanção na Volta a França, quando quatro dos 15 testes realizados acusaram consumo de corticosteroides.

O documento refere também que em 2009, quando Armstrong regressou à competição, foi autorizado a competir no Tour Down Under, na Austrália, sem ter efetuado todos os testes necessários.

Citando um especialista, o relatório indica que existem "acusações sérias" de que alguns ciclistas pagavam uma espécie de imposto 'antidoping' para evitar testes.

A CIRC foi constituída com o apoio da UCI e do seu atual presidente para investigar a atuação do organismo durante o caso Lance Armstrong.

Em outubro de 2012, o ciclista foi irradiado do desporto e perdeu as sete vitórias na Volta a França (conseguidas entre 1999 e 2005), depois de a Agência Antidopagem dos Estados Unidos (USADA) ter comprovado o seu envolvimento no que considerou o "mais sofisticado sistema de dopagem da história do desporto". 

Em janeiro de 2013, o texano confessou o recurso ao doping numa entrevista televisiva e admitiu que em 1995 o recurso ao doping estava completamente generalizado
  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combnate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.