sicnot

Perfil

Desporto

Jogadores do PSG com braçadeiras negras frente ao Chelsea

Os futebolistas do Paris Saint-Germain vão usar uma braçadeira negra no encontro de quarta-feira frente ao Chelsea, da Liga dos Campeões, devido a um acidente na Argentina que vitimou três conhecidos desportistas franceses, revelou hoje o clube.

EPA

Numa pequena nota colocada no seu site oficial, o emblema parisiense considerou que as mortes da velejadora Florence Arthaud, da campeã olímpica de natação Camille Muffat e do pugilista olímpico Alexis Vastine são uma "terrível catástrofe" para o desporto francês.

Em homenagem aos três atletas, os jogadores de Paris Saint-Germain vão atuar em Stamford Bridge, na segunda mão dos oitavos de final da 'Champions', com uma braçadeira negra.

Florence Arthaud, de 57 anos, era uma das mais célebres velejadoras do mundo e Camille Muffat, de 25, era uma das campeãs com mais títulos da história da natação francesa. Com 28 anos, o pugilista Alexis Vastine ganhou uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008.

Os três perderam a vida, juntamente com mais sete pessoas, quando os dois helicópteros em que seguiam colidiram em pleno voo, nas montanhas da zona turística de La Rioja, no noroeste da Argentina, durante as filmagens de um 'reality show'.

Outras figuras conhecidas do desporto gaulês, como o ex-futebolista Sylvain Wiltord, o nadador Alain Bernard e a ex-ciclista Jeannie Longo também estavam a participar no mesmo programa de televisão, mas não se encontravam nos helicópteros. 


Lusa
  • Milhares protestam contra Donald Trump no Dia do Presidente
    1:55

    Mundo

    Milhares de pessoas voltaram a protestar contra Donald Trump, nos Estados Unidos da América. As marchas em várias cidades aconteceram no feriado que assinala o Dia do Presidente. Os manifestantes exigiram a destituição do chefe de Estado.

  • O mistério da morte do meio irmão de Kim Jong-un
    2:32
  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Homens e mulheres nas tarefas domésticas
    2:09

    País

    Nas gerações mais novas, já há sinais de mudança na divisão e partilha de tarefas em casa. No entanto, entre os mais velhos, as tarefas de casa são quase sempre obrigação da mulher. A igualdade entre homens e mulheres é ainda miragem dentro de casa e em termos de salários.