sicnot

Perfil

Desporto

Serge Aurier pede desculpas por ter insultado árbitro do Chelsea-PSG

O jogador do Paris Saint-Germain Serge Aurier pediu esta terça-feira desculpas por ter insultado o árbitro holandês Bjorn Kuipers após o final do jogo entre os gauleses e o Chelsea, da Liga dos Campeões em futebol.

"Peço perdão ao Sr. Kuipers, aos seus assistentes, bem como a todos os funcionários pela minha reação após o jogo com o Chelsea", escreveu, desta vez no twitter, o defesa costa-marfinense (na imagem), que não se deslocou a Londres para a partida da segunda mão dos oitavos de final por se encontrar lesionado. (Arquivo)

"Peço perdão ao Sr. Kuipers, aos seus assistentes, bem como a todos os funcionários pela minha reação após o jogo com o Chelsea", escreveu, desta vez no twitter, o defesa costa-marfinense (na imagem), que não se deslocou a Londres para a partida da segunda mão dos oitavos de final por se encontrar lesionado. (Arquivo)

Natacha Pisarenko / AP

"Peço perdão ao Sr. Kuipers, aos seus assistentes, bem como a todos os funcionários pela minha reação após o jogo com o Chelsea", escreveu, desta vez no twitter, o defesa costa-marfinense, que não se deslocou a Londres para a partida da segunda mão dos oitavos de final por se encontrar lesionado.

No final da partida, que seguiu através da televisão na sua residência em Paris, gravou imagens em que aparece junto ao televisor a chamar ao árbitro "sujo e filho da p..." e colocou-as na sua conta no facebook, o que motivou a abertura de um procedimento disciplinar por parte da UEFA.

O PSG eliminou o Chelsea e garantiu um lugar nos quartos de final da Liga dos Campeões graças ao empate a dois golos em Stamford Bridge, depois de ter empatado a um no jogo da primeira mão no Parque dos Príncipes. 

O árbitro Bjorn Kuipers teve uma decisão controversa ao expulsar na primeira parte o colega de Aurier, o sueco Zlatan Ibrahimovic, na sequência de um 'carrinho' sobre o brasileiro Óscar, do Chelsea.

A retratação do jogador da Costa do Marfim, de 22 anos, que chegou ao ponto de se confessar arrependido e de reconhecer o quão difícil é o trabalho dos árbitros, antecipa a previsível ação disciplinar da UEFA, que irá tomar uma decisão sobre este caso na próxima quinta-feira.    

"Eu e os meus colegas temos vindo a lutar para reforçar a imagem de Paris e da França no contexto do futebol europeu. A minha atitude, obviamente, não contribui para isso", reconheceu Aurier, para quem a "paixão pelo futebol e a frustração por estar lesionado" levaram a ter aquela reação, a qual "não devia ter acontecido". 
Lusa
  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • MP investiga ministro Siza Vieira, António Costa rejeita incompatibilidades
    2:12

    País

    O Ministério Público decidiu investigar o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, por alegadas incompatibilidades. O governante criou uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse e manteve-se como gerente durante dois meses. A lei prevê a demissão, mas o primeiro-ministro já disse que se tratou apenas de um erro e o próprio ministro alega desconhecimento da lei.

  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.