sicnot

Perfil

Desporto

Ronaldo vai igualar os 23 clássicos de Figo no domingo

Cristiano Ronaldo vai igualar domingo as 23 presenças de Luís Figo no grande clássico futebolístico de Espanha, o duelo entre Barcelona e Real Madrid, que se defrontam em Nou Camp, na 28.ª ronda da Liga.

© Vincent West / Reuters

O capitão da seleção lusa, no conjunto merengue desde 2009/10, já participou por 22 vezes no "El clásico", apenas menos uma do que Figo, que o disputou 13 vezes com a camisola "blaugrana" e 10 com a "blanca".

No terceiro lugar do ranking de presenças dos internacionais lusos, Pepe cumprirá o 21.ª clássico, com a possibilidade de suplantar Figo em vitórias, já que conta presentemente as mesmas nove do agora candidato à presidência da FIFA. Ronaldo fica-se pelas seis (27,3 por cento).
 
O atual "7" do Real Madrid já é, porém, o jogador luso com mais minutos (1928) e lidera de forma avassaladora em matéria de golos, com 14, mais uma dezena do que os quatro de Figo, três dos quais antes de trocar -- com enorme polémica - o clube catalão pelo da capital, no defeso de 2000.

O avançado luso já segue, aliás, no grupo dos quartos melhores marcadores do "El Clásico", apenas atrás dos merengues Raul (15) e Alfredo Di Stéfano (18) e, claro, do argentino Lionel Messi, que já vai em 21.

Destaque para o golo que valeu a vitória na final da Taça do Rei de 2010/11 (1-0, após prolongamento, em Valência), e o que selou, praticamente o título dos merengues, de José Mourinho, no campeonato de 2011/12 (2-1 no Nou Camp).

Além de Ronaldo, apenas marcaram Figo, Pepe e Simão Sabrosa, este no célebre primeiro jogo do ex-catalão no Nou Camp com a camisola dos merengues.

Depois de cinco anos na Catalunha, o "7'"do Barça virou "10" do Real Madrid e, no regresso, a 21 de outubro de 2000, foi o foco de todas as atenções, de todos os insultos, de traidor a "pesetero". Até lhe atiraram uma cabeça de porco.

No que ao futebol diz respeito, o triunfo pertenceu aos locais, com golos do ex-merengue Luis Enrique, agora treinador do Barça (26 minutos), e do então jovem luso Simão (79), que disputou nesse dia o seu único clássico.

Na presente temporada, o Real Madrid venceu em casa por 3-1 e os dois internacionais lusos marcaram: depois de Neymar inaugurar o marcador, aos quatro minutos, Ronaldo empatou, de penálti, aos 35, e Pepe selou a reviravolta, aos 50.

Além de Figo (23 jogos), Cristiano Ronaldo (22) e Pepe (21), também Fábio Coentrão, que luta com o brasileiro Marcelo por um lugar no 'onze' para domingo, já chegou aos 10 clássicos, tendo triunfado em quatro e perdido outros tantos.

Os outros internacionais lusos presentes foram Ricardo Carvalho (oito jogos) e Secretário (dois), ambos pelo Real Madrid, e Deco (seis), Vítor Baía (quatro), Fernando Couto (dois) e Ricardo Quaresma (um), todos pelos catalães.

No que respeita a técnicos, José Mourinho cumpriu 17 em apenas três épocas no Real Madrid (2010/11 a 2012/13), somando cinco vitórias, seis empates e seis derrotas. Carlos Queiroz ganhou um (2-1 em Nou Campo) e perdeu outro, em 2003/04.


Lusa
  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52