sicnot

Perfil

Desporto

Boston quer referendo para legitimar candidatura aos Jogos Olímpicos de 2024

O presidente do comité organizador da candidatura de Boston aos Jogos Olímpicos de 2024 garantiu hoje que desistirá do processo caso uma maioria dos habitantes da cidade e do estado não apoie a iniciativa. 

Reuters

John Fish adiantou que os membros da candidatura Boston2024 querem um referendo estadual em novembro de 2016, que decida se os Jogos Olímpicos devem voltar aos Estados Unidos pela primeira vez desde Atlanta1996. 

O presidente do comité organizador afiançou que caso uma maioria dos cidadãos de Boston não aprovem a candidatura, esta será retirada.

"Boston2024 acredita que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos seriam bons para Boston e criariam centenas de postos de trabalho, conduziriam ao desenvolvimento económico e serviriam de catalisador para os planos a longo prazo de Boston", considerou Fish. 

Em nome da transparência, a candidatura pretende que as pessoas do estado de Massachusetts tomem a decisão final quanto à validação de Boston2024.

Em janeiro, o Comité Olímpico dos Estados Unidos escolheu Boston como a cidade candidata aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2024. 

A escolha da sede para os Jogos de 2024 está agendada pelo Comité Olímpico Internacional (COI) para 2017, em Lima.

Na corrida à organização do evento estão também as cidades de Hamburgo, na Alemanha, e de Roma, aguardando-se ainda as confirmações de Istambul e Doha.


Lusa
  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06