sicnot

Perfil

Desporto

Nadador sul-coreano, suspenso por doping, poderá ir ao Rio2016 "se pedir desculpa"

O campeão olímpico sul-coreano de natação Park Tae-hwan, suspenso 18 meses por doping, poderá estar nos Jogos do Rio, em 2016, caso peça desculpa, disse esta quarta-feira o presidente da Federação de Natação da Coreia do Sul.

Campeão olímpico em 2008, o nadador sul-coreano foi suspenso por 18 meses pela Federação Internacional de Natação (FINA) por não ter comparecido a um teste de doping, depois de já ter tido uma análise positiva fora da competição, em setembro passado. (Arquivo)

Campeão olímpico em 2008, o nadador sul-coreano foi suspenso por 18 meses pela Federação Internacional de Natação (FINA) por não ter comparecido a um teste de doping, depois de já ter tido uma análise positiva fora da competição, em setembro passado. (Arquivo)

© David Gray / Reuters

Campeão olímpico em 2008, o nadador sul-coreano foi suspenso por 18 meses pela Federação Internacional de Natação (FINA) por não ter comparecido a um teste de doping, depois de já ter tido uma análise positiva fora da competição, em setembro passado.

"Vamos esperar que Park peça desculpa aos coreanos e depois disso tomaremos uma decisão, de acordo com os desejos da nossa sociedade", disse o presidente da federação local, Lee Ki-Heung.

A suspensão de Park termina a 2 de março de 2016, o que lhe permitiria estar no Rio2016, mas o Comité Olímpico Sul-Coreano criou em 2014 uma norma que obriga que atletas com testes positivos de doping fiquem afastados da competição por três anos.

"Haverá oportunidades para debater essa norma", disse o líder federativo, abrindo a porta a uma exceção para o mais laureado dos nadadores sul-coreanos.

Park conquistou a medalha de ouro nos 400 metros livres e a medalha de prata nos 200 nos Jogos Olímpicos de Pequim2008, tornando-se no primeiro nadador sul-coreano a obter uma medalha olímpica. 

Nos Jogos Olímpicos de Londres2012 viria a conquistar também a medalha de prata naquelas duas provas, além dos títulos mundiais nos 400 metros em 2007 e 2011.
Lusa
  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.