sicnot

Perfil

Desporto

Eusébio vai ser trasladado para o Panteão Nacional a 3 de julho

Os restos mortais do futebolista Eusébio, falecido em janeiro do ano passado, vão ser trasladados para o Panteão Nacional a 3 de julho.

Eusébio da Silva Ferreira morreu na madrugada de 5 de janeiro de 2014, aos 71 anos, vítima de paragem cardiorrespiratória. (Arquivo)

Eusébio da Silva Ferreira morreu na madrugada de 5 de janeiro de 2014, aos 71 anos, vítima de paragem cardiorrespiratória. (Arquivo)

Francisco Seco / AP

Os grupos parlamentares da maioria PSD/CDS-PP, PS, PCP, BE e "Os Verdes" aprovaram a 20 de fevereiro, por unanimidade, conceder honras de Panteão Nacional ao futebolista Eusébio, através de uma resolução conjunta.

Eusébio da Silva Ferreira morreu na madrugada de 5 de janeiro de 2014, aos 71 anos, vítima de paragem cardiorrespiratória.

Também carinhosamente tratado por 'King', foi eleito o melhor jogador do mundo em 1965 e conquistou duas Botas de Ouro (1967/68 e 1972/73).

No Mundial de 1966, disputado em Inglaterra, foi considerado o melhor jogador da competição, na qual foi o melhor marcador, com nove golos, com a 'seleção das quinas' a classificar-se no terceiro lugar.

A poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen foi a última personalidade portuguesa a merecer honras de Panteão Nacional por proposta de PSD e PS que obteve unanimidade em fevereiro de 2014, tendo a cerimónia decorrido em julho.
Lusa
  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • CIP contra 600€ de salário mínimo, ameaça boicatar iniciativas do governo
    1:28

    Economia

    O presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) está contra o aumento do salário mínimo para 600€. Em entrevista conjunta à Antena1 e ao Jornal de Negócios, o presidente António Saraiva considerou a proposta "uma luta partidária" dos comunistas com o Bloco de Esquerda" e ameaça boicotar a presença em iniciativas publicas, promovidas pelo executivo.