sicnot

Perfil

Desporto

Beto renova com o Sevilha por duas épocas

O guarda-redes internacional português Beto renovou contrato com o Sevilha por mais duas épocas, até 2017, e uma terceira de opção, anunciou esta segunda-feira o clube andaluz, quinto classificado do campeonato espanhol de futebol.

Beto, de 32 anos, chegou a Sevilha em janeiro de 2013, proveniente do Sporting de Braga, tendo disputado desde então 83 jogos pelo clube, no qual também alinham os portugueses Diogo Figueiras e Daniel Carriço e com o qual tinha contrato válido até ao fim desta temporada. (Arquivo)

Beto, de 32 anos, chegou a Sevilha em janeiro de 2013, proveniente do Sporting de Braga, tendo disputado desde então 83 jogos pelo clube, no qual também alinham os portugueses Diogo Figueiras e Daniel Carriço e com o qual tinha contrato válido até ao fim desta temporada. (Arquivo)

© Stefano Rellandini / Reuters

Beto, de 32 anos, chegou a Sevilha em janeiro de 2013, proveniente do Sporting de Braga, tendo disputado desde então 83 jogos pelo clube, no qual também alinham os portugueses Diogo Figueiras e Daniel Carriço e com o qual tinha contrato válido até ao fim desta temporada.

"Estou muito satisfeito. Tinha vontade de continuar a trabalhar neste clube, que já me deu muito. Sinto-me muito querido e reconhecido desde o primeiro dia e esta é mais uma prova de que o clube confia em mim, o que também me dá mais responsabilidade", disse Beto, em declarações publicadas no site oficial do Sevilha.

O guarda-redes português foi preponderante em alguns dos sucessos recentes do clube espanhol, em especial a conquista da Liga Europa da época passada, frente ao Benfica, ao defender na final dois remates no desempate por grandes penalidades, após um empate 0-0 no fim do prolongamento.

O treinador do Sevilha, Unai Emery, lembrou que chegou ao clube praticamente na mesma altura que Beto, tendo ambos percorrido um "trajeto muito intenso", durante o qual o guarda-redes português "demostrou uma grande capacidade de liderança".

Beto, que se lesionou no ombro esquerdo no início de fevereiro, reintegrou há duas semanas os treinos do plantel do Sevilha, mas sofreu uma lesão muscular, que vai adiar o regresso à competição até ao fim deste mês.
Lusa
  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.