sicnot

Perfil

Desporto

Detidos dois suspeitos de ataque contra autocarro do Fenerbahçe

A polícia turca deteve dois suspeitos do ataque armado, no passado sábado, contra o autocarro da equipa de futebol do Fenerbahçe, na qual jogam os portugueses Bruno Alves e Raul Meireles, revelou hoje fonte oficial. 

(EPA/ Arquivo)

(EPA/ Arquivo)

EPA

 A polícia turca deteve dois suspeitos do ataque armado, no passado sábado, contra o autocarro da equipa de futebol do Fenerbahçe, na qual jogam os portugueses Bruno Alves e Raul Meireles, revelou hoje fonte oficial.


"Dois suspeitos foram detidos e vão ser interrogados", disse Adil Celal Öz, governador de Trabzon, no nordeste do país, onde foram intercetados.


Segundo o mesmo responsável, um dos detidos é suspeito de ter disparado para o autocarro enquanto o segundo terá feito uma chamada ao amigo para o avisar de que já estaria a chegar perto do autocarro do Fenerbahçe.


Segundo a agência de notícias Dogan, os dois negaram todas as acusações.


No sábado, o autocarro do Fenerbahçe foi atacado no regresso a Istambul, após ter vencido o Rizespor por 5-1.


Enquanto o autocarro circulava numa autoestrada perto da cidade de Trabzon, no nordeste do país, com os atletas e outros dirigentes a bordo, o motorista da viatura foi atingido por disparos na cara.


Segundo Mahmut Uslu, responsável do clube, o motorista conseguiu imobilizar o veículo, que se dirigia de Rize para Trabzon, de onde a equipa viajaria para Istambul.


Na altura, o Fenerbahçe realçou a "importância vital" de saber quem foram os responsáveis e puni-los.


Lusa

  • Obama acredita que Guterres será um bom líder da ONU
    0:53

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar de perto com os Estados Unidos na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido esta sexta-feira por Barack Obama, na Casa Branca, onde foi elogiado pelo ainda Presidente.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.