sicnot

Perfil

Desporto

Tenista suíça Martina Hingis regressa à Fed Cup 17 anos depois

A tenista Martina Hingis foi hoje convocada para a seleção suíça da Fed Cup, um regresso que acontece depois de 17 anos de ausência, para enfrentar a Polónia, num play-off de acesso ao Grupo Mundial.  

© USA Today Sports / Reuters

Hingis, de 34 anos, não representava a Suíça desde a final da Fed Cup de 1998, quando a equipa da casa perdeu a final da principal prova de seleções femininas do ténis, em Genebra, com a Espanha. 

O seu regresso à seleção nacional era esperado, uma vez que a tenista, que regressou aos courts em 2013 para jogar pares, está obrigada a jogar na Fed Cup de modo a cumprir o seu sonho de jogar pares mistos nos Jogos Olímpicos de 2016. 

Depois de um primeiro abandono, anunciado em fevereiro de 2003, a cinco vezes vencedora de torneios de Grand Slam e número um mundial durante 209 semanas regressou em 2006, antes de se retirar novamente em novembro de 2007, devido a um controlo positivo por cocaína. 

Desde que regressou aos courts há duas temporadas, Hingis tem somado triunfos, tendo vencido a variante de pares mistos do Open da Austrália deste ano ao lado do indiano Leander Paes.

A Suíça, que, além da antiga número um mundial, poderá contar com Timea Bacsinszky, Stefanie Vögele e Viktorija Golubic, vai tentar garantir, em Zielona Gora (Polónia), entre 18 e 19 de abril, o regresso ao Grupo Mundial da Fed Cup, patamar em que não está desde 2004.

Lusa 

  • Quando se confunde o pedal do travão com o acelerador
    0:38

    Mundo

    Na China, chegam imagens de um acidente fora do normal. Um homem parou o carro e saiu para cumprimentar um amigo. Enquanto conversavam, a viatura começou a descair lentamente. O condutor correu de imediato para o carro. Com as mãos já no volante, tentou evitar o pior mas em vez de carregar no travão, carregou no acelerador.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.