sicnot

Perfil

Desporto

Tenista suíça Martina Hingis regressa à Fed Cup 17 anos depois

A tenista Martina Hingis foi hoje convocada para a seleção suíça da Fed Cup, um regresso que acontece depois de 17 anos de ausência, para enfrentar a Polónia, num play-off de acesso ao Grupo Mundial.  

© USA Today Sports / Reuters

Hingis, de 34 anos, não representava a Suíça desde a final da Fed Cup de 1998, quando a equipa da casa perdeu a final da principal prova de seleções femininas do ténis, em Genebra, com a Espanha. 

O seu regresso à seleção nacional era esperado, uma vez que a tenista, que regressou aos courts em 2013 para jogar pares, está obrigada a jogar na Fed Cup de modo a cumprir o seu sonho de jogar pares mistos nos Jogos Olímpicos de 2016. 

Depois de um primeiro abandono, anunciado em fevereiro de 2003, a cinco vezes vencedora de torneios de Grand Slam e número um mundial durante 209 semanas regressou em 2006, antes de se retirar novamente em novembro de 2007, devido a um controlo positivo por cocaína. 

Desde que regressou aos courts há duas temporadas, Hingis tem somado triunfos, tendo vencido a variante de pares mistos do Open da Austrália deste ano ao lado do indiano Leander Paes.

A Suíça, que, além da antiga número um mundial, poderá contar com Timea Bacsinszky, Stefanie Vögele e Viktorija Golubic, vai tentar garantir, em Zielona Gora (Polónia), entre 18 e 19 de abril, o regresso ao Grupo Mundial da Fed Cup, patamar em que não está desde 2004.

Lusa 

  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33