sicnot

Perfil

Desporto

Pai de Jules Bianchi assume "tortura diária"

O pai de Jules Bianchi assumiu hoje a "tortura diária" vivida pelo piloto francês e pela sua família desde o grave acidente ocorrido a 05 de outubro de 2014, durante o Grande Prémio do Japão de Fórmula 1.

© Issei Kato / Reuters

"O nosso universo entrou em colapso no dia 05 de outubro de 2014", sintetizou Philippe Bianchi, em entrevista ao jornal francês Nice-Martin, aludindo ao embate do piloto da Marussia com a grua que estava a tentar remover o carro do alemão Adrian Sutil (Sauber), que se tinha despistado no local.

O jovem, de 25 anos, permanece em coma, respirando agora sem assistência, numa unidade hospitalar de Nice, para onde foi transferido depois dos cuidados iniciais no hospital de Mie, no Japão, mas o seu pai decidiu partilhar o seu estado "por respeito a todas as pessoas que continuam a enviar diariamente a Jules desejos e mensagens encorajadoras".  

"Jules é jovem. Ele é muito forte fisicamente, pois sobreviveu a um choque muito grande. Tenho muito orgulho dele, sempre tive. Temos esperança de evolução. De tempo em tempo, ao lado dele na cama, vemos que as coisas estão a acontecer. Às vezes ele fica mais ativo, mexe-se mais e a sua mão treme. Mas será mero reflexo ou algo real? É difícil saber. O mais importante é que ele está a ser acompanhado por excelentes especialistas", referiu Philippe Bianchi.

O pai do piloto assume a "dor infinita" a "tortura diária" perante a incerteza sobre a recuperação do filho, cuja condição, "do ponto de vista médico, é estável, é bastante autónoma, sem nenhum problema físico". 

"Todos os órgãos estão a trabalhar sem assistência. Mas, por enquanto, ele permanece inconsciente, em coma", sublinhou, acrescentando que os médicos asseguram não haver qualquer intervenção neurológica a fazer.

"O mais importante é estimular o Jules, para que ele sinta uma presença constante ao seu lado. É por isso que nos revezamos a cada dia, a mãe, a irmã, o irmão e eu. Ele também tem Gina, a namorada, que vive aqui agora", realçou Philippe Bianchi, agradecendo a "motivação fabulosa" de todos os que pensam e rezam pelo seu filho.









Lusa
  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.