sicnot

Perfil

Desporto

Pai de Jules Bianchi assume "tortura diária"

O pai de Jules Bianchi assumiu hoje a "tortura diária" vivida pelo piloto francês e pela sua família desde o grave acidente ocorrido a 05 de outubro de 2014, durante o Grande Prémio do Japão de Fórmula 1.

© Issei Kato / Reuters

"O nosso universo entrou em colapso no dia 05 de outubro de 2014", sintetizou Philippe Bianchi, em entrevista ao jornal francês Nice-Martin, aludindo ao embate do piloto da Marussia com a grua que estava a tentar remover o carro do alemão Adrian Sutil (Sauber), que se tinha despistado no local.

O jovem, de 25 anos, permanece em coma, respirando agora sem assistência, numa unidade hospitalar de Nice, para onde foi transferido depois dos cuidados iniciais no hospital de Mie, no Japão, mas o seu pai decidiu partilhar o seu estado "por respeito a todas as pessoas que continuam a enviar diariamente a Jules desejos e mensagens encorajadoras".  

"Jules é jovem. Ele é muito forte fisicamente, pois sobreviveu a um choque muito grande. Tenho muito orgulho dele, sempre tive. Temos esperança de evolução. De tempo em tempo, ao lado dele na cama, vemos que as coisas estão a acontecer. Às vezes ele fica mais ativo, mexe-se mais e a sua mão treme. Mas será mero reflexo ou algo real? É difícil saber. O mais importante é que ele está a ser acompanhado por excelentes especialistas", referiu Philippe Bianchi.

O pai do piloto assume a "dor infinita" a "tortura diária" perante a incerteza sobre a recuperação do filho, cuja condição, "do ponto de vista médico, é estável, é bastante autónoma, sem nenhum problema físico". 

"Todos os órgãos estão a trabalhar sem assistência. Mas, por enquanto, ele permanece inconsciente, em coma", sublinhou, acrescentando que os médicos asseguram não haver qualquer intervenção neurológica a fazer.

"O mais importante é estimular o Jules, para que ele sinta uma presença constante ao seu lado. É por isso que nos revezamos a cada dia, a mãe, a irmã, o irmão e eu. Ele também tem Gina, a namorada, que vive aqui agora", realçou Philippe Bianchi, agradecendo a "motivação fabulosa" de todos os que pensam e rezam pelo seu filho.









Lusa
  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.