sicnot

Perfil

Desporto

Trasladação de Eusébio para Panteão mantém-se a 3 de julho pelas 19 horas

A cerimónia de trasladação do futebolista português Eusébio vai realizar-se a 03 de julho, pelas 19 horas, como previsto, confirmou hoje a Presidente da Assembleia da República, em conferência de líderes.

O grupo de trabalho fica responsável por "determinar a data, definir e orientar o programa da transladação, em articulação com as entidades públicas e demais instituições envolvidas, bem como os seus familiares próximos", pode ler-se na resolução 21/2015 da Assembleia da República (AR) publicada em Diário da República na quinta-feira. (Arquivo)

O grupo de trabalho fica responsável por "determinar a data, definir e orientar o programa da transladação, em articulação com as entidades públicas e demais instituições envolvidas, bem como os seus familiares próximos", pode ler-se na resolução 21/2015 da Assembleia da República (AR) publicada em Diário da República na quinta-feira. (Arquivo)

© Stefan Wermuth / Reuters

Segundo o deputado-secretário da mesa do parlamento, Duarte Pacheco, Assunção Esteves e a Procuradoria-Geral da República partilham a mesma interpretação de que a legislação específica sobre honras de Panteão se sobrepõe à lei geral, que obrigaria a um período de três anos para a remoção dos restos mortais.

Eusébio da Silva Ferreira, para muitos o melhor futebolista português de sempre, morreu na madrugada de 05 de janeiro de 2014, aos 71 anos, vítima de paragem cardiorrespiratória.

Nascido a 25 de janeiro de 1942 em Lourenço Marques (atual Maputo), em Moçambique, o "King" ou "Pantera Negra", como também era conhecido, distinguiu-se ao serviço do Benfica e da seleção portuguesa e foi eleito o melhor jogador do mundo em 1965, conquistando ainda duas Botas de Ouro (1967/68 e 1972/73) de melhor marcador.

No Mundial de 1966, disputado em Inglaterra, foi considerado o melhor jogador da competição, na qual foi o melhor marcador, com nove golos. Na mesma competição, Portugal terminou no terceiro lugar.

A poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen foi a última personalidade portuguesa a merecer honras de Panteão Nacional por proposta de PSD e PS que obteve unanimidade em fevereiro de 2014, tendo a cerimónia decorrido igualmente em julho, também pelas 19 horas.

Lusa
  • "Não partilhei SMS com ninguém"
    0:43

    Caso CGD

    António Domingues afirma que nunca revelou o conteúdo das mensagens trocadas com o ministro das Finanças sobre a entrega das declarações de património ao Tribunal Constitucional. O tema dos SMS foi abordado pelo ex-presidente da Caixa na sequência de uma pergunta do PCP sobre declarações feitas por António lobo Xavier no programa da SIC Notícias "Quadratura do Círculo".

  • "As regras europeias de bem estar animal são dogmas", diz diretor-geral de Veterinária
    1:32

    País

    O diretor-geral de Alimentação e Veterinária considera que as regras de bem estar animal que existem na União Europeia (UE) "parecem configurar uma transfiguração antropomórfica dos animais". Em declarações à SIC, a propósito da exportação de animais vivos para países terceiros, que têm outras regras de abate, Fernando Bernardo defendeu ainda que o método usado em Israel provoca uma insensibilização mais rápida do que o praticada na UE.

  • PAN questiona Governo sobre aposta na exportação de animais vivos para o Médio Oriente
    1:56

    País

    O partido Pessoas-Animais-Natureza lembra que à luz do Regulamento nº. 1/2005 do Conselho Europeu, os estados-membros da União Europeia (UE) devem evitar transportar animais vivos em viagens de longo curso. O deputado André Silva considera, por isso, que "o Estado português está a incumprir o regulamento" ao fomentar estas viagens, numa clara aposta económica em torno da exportação de animais vivos para Israel e outros destinos fora da UE. Para o deputado do PAN, é muito difícil ou "mesmo impossível assegurar o bem estar dos animais" em viagens de vários dias.

  • Trump pensou que presidência "seria mais fácil"

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos Donald Trump afirmou que a Presidência é mais difícil do que pensava e que tem saudades da vida que levava antes, em entrevistas a propósito dos primeiros 100 dias em funções.