sicnot

Perfil

Desporto

Tenista João Sousa sobe ao 51º posto do ranking mundial

O tenista português João Sousa, que alcançou a segunda ronda do Masters 1000 de Madrid, subiu esta segunda-feira cinco posições e colocou-se à porta do top 50´ do 'ranking', ocupando agora a 51ª posição da hierarquia mundial.

Sousa, que tem como melhor classificação o 35.º posto, alcançado em julho de 2014, na estreia na terra batida da capital espanhola, bateu o polaco Jerzy Janowicz, mas, de seguida, caiu perante o suíço e mais cotado (nono) Stan Wawrinka. (Arquivo)

Sousa, que tem como melhor classificação o 35.º posto, alcançado em julho de 2014, na estreia na terra batida da capital espanhola, bateu o polaco Jerzy Janowicz, mas, de seguida, caiu perante o suíço e mais cotado (nono) Stan Wawrinka. (Arquivo)

© Eric Gaillard / Reuters

Sousa, que tem como melhor classificação o 35.º posto, alcançado em julho de 2014, na estreia na terra batida da capital espanhola, bateu o polaco Jerzy Janowicz, mas, de seguida, caiu perante o suíço e mais cotado (nono) Stan Wawrinka.

Fora do 'top 100', Gastão Elias manteve o 157.º lugar da hierarquia e Rui Machado continua no 216.º posto.

No topo do 'ranking' masculino, destaque para o canadiano Milos Raonic, que 'saltou' duas posições e colocou-se no quarto lugar, e para o checo Thomas Berdych, que subiu a quinto.

Depois de conquistar em Madrid o seu primeiro título em terra batida em Masters 1000, o britânico Andy Murray manteve o terceiro lugar do 'ranking´, enquanto o espanhol Rafael Nadal, finalista vencido e antigo número um, deu um 'trambolhão' para o sétimo lugar.

No setor feminino, a portuguesa Michelle Larcher de Brito caiu um lugar e ocupa agora o 127.º lugar do 'ranking' WTA. Inês Murta segue no 793.º posto, seguido de Barbara Luz (853.ª) e Maria João Koehler (868.ª).

No 'top 10', tudo se mantém praticamente na mesma, com a norte-americana Serena Williams na frente e com a alemã Andrea Petkovic a subir ao nono lugar.
Lusa
  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.