sicnot

Perfil

Desporto

Tenista João Sousa sobe ao 51º posto do ranking mundial

O tenista português João Sousa, que alcançou a segunda ronda do Masters 1000 de Madrid, subiu esta segunda-feira cinco posições e colocou-se à porta do top 50´ do 'ranking', ocupando agora a 51ª posição da hierarquia mundial.

Sousa, que tem como melhor classificação o 35.º posto, alcançado em julho de 2014, na estreia na terra batida da capital espanhola, bateu o polaco Jerzy Janowicz, mas, de seguida, caiu perante o suíço e mais cotado (nono) Stan Wawrinka. (Arquivo)

Sousa, que tem como melhor classificação o 35.º posto, alcançado em julho de 2014, na estreia na terra batida da capital espanhola, bateu o polaco Jerzy Janowicz, mas, de seguida, caiu perante o suíço e mais cotado (nono) Stan Wawrinka. (Arquivo)

© Eric Gaillard / Reuters

Sousa, que tem como melhor classificação o 35.º posto, alcançado em julho de 2014, na estreia na terra batida da capital espanhola, bateu o polaco Jerzy Janowicz, mas, de seguida, caiu perante o suíço e mais cotado (nono) Stan Wawrinka.

Fora do 'top 100', Gastão Elias manteve o 157.º lugar da hierarquia e Rui Machado continua no 216.º posto.

No topo do 'ranking' masculino, destaque para o canadiano Milos Raonic, que 'saltou' duas posições e colocou-se no quarto lugar, e para o checo Thomas Berdych, que subiu a quinto.

Depois de conquistar em Madrid o seu primeiro título em terra batida em Masters 1000, o britânico Andy Murray manteve o terceiro lugar do 'ranking´, enquanto o espanhol Rafael Nadal, finalista vencido e antigo número um, deu um 'trambolhão' para o sétimo lugar.

No setor feminino, a portuguesa Michelle Larcher de Brito caiu um lugar e ocupa agora o 127.º lugar do 'ranking' WTA. Inês Murta segue no 793.º posto, seguido de Barbara Luz (853.ª) e Maria João Koehler (868.ª).

No 'top 10', tudo se mantém praticamente na mesma, com a norte-americana Serena Williams na frente e com a alemã Andrea Petkovic a subir ao nono lugar.
Lusa
  • Atirador canadiano mata combatente do Daesh a 3,5km de distância

    Mundo

    Um atirador das Forças Especiais do Canadá matou um combatente do Daesh com um tiro disparado a 3,5 quilómetros de distância, no passado mês de maio, no Iraque. O Comando de Operações Especiais canadiano garantiu à BBC que a distância do disparo, realizado com sucesso, é já considerada um recorde na história militar.

  • Revelada a verdadeira identidade de Banksy?

    Cultura

    O músico e produtor Goldie pode ter revelado a identidade do artista mais conhecido por Banksy, durante uma entrevista ao podcast do rapper Scroobius Pip. Goldie referiu Robert Del Naja de forma acidental e os fãs acreditam que a identidade do artista britânico foi finalmente desvendada.

  • "Mãe, por favor, para de dizer asneiras. Não quero que leves um tiro"
    0:51

    Mundo

    O Departamento de Investigação da Polícia do Minnesota divulgou esta sexta-feira um vídeo com imagens de um incidente que levou à morte de um afro-americano pela polícia, nos Estados Unidos da América. Em julho de 2016 um polícia atingiu mortalmente Philando Castile, de 32 anos, durante uma operação de controlo rodoviário. O homem procurava os documentos de identificação quando o polícia disparou quatro tiros. Nas imagens é possível ver o desespero da filha da companheira de Philiando Castile, minutos depois de ter visto o padrasto a morrer. O agente responsável pela morte de Castile foi absolvido pelo Tribunal na semana passada.

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43

    Mundo

    Um vídeo de um acidente numa autoestrada em Santa Clarita, na Califórnia (EUA), está a tornar-se viral nas redes sociais. Nas imagens é possível ver um motociclista a dar um pontapé num carro que seguia à sua frente. Como forma de "retribuição", o carro vira na direção da mota mas bate no separador e depois numa carrinha que acabou por capotar. Segundo a imprensa norte-americana o condutor da carrinha foi levado para o hospital com ferimentos ligeiros. Já a pessoa que conduzia a mota seguiu o seu caminho.