sicnot

Perfil

Desporto

João Sousa regressa ao top-50 do ranking mundial de ténis

O tenista português João Sousa regressou hoje ao grupo dos 50 melhores do mundo, um estatuto que tinha perdido em março, quando foi 'desalojado' do top-50 do 'ranking' mundial, liderado pelo sérvio Novak Djokovic. 

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Gonzalo Fuentes / Reuters

Apesar da passagem fugaz pelo Masters 1000 de Roma, onde perdeu logo na primeira ronda, tal como tinha sucedido em 2014, João Sousa está ainda a 'rentabilizar' a prestação do anterior torneio da mesma categoria, em Madrid, onde superou o qualifying e chegou à segunda eliminatória.  

 
 

Na 'elite' do top-10, Djokovic manteve o comando confortável da hierarquia, um dia depois de ter ganhado pela quarta vez o torneio de Roma, batendo o perseguidor direto na hierarquia, o suíço Roger Federer. 

 
 

Na classificação feminina, cuja liderança continua entregue à norte-americana Serena Williams, as principais movimentações no cimo da classificação foram protagonizadas pela russa Maria Sharapova e a espanhola Carla Suarez Navarro, finalistas em Roma. 

 
 

Sharapova, campeã na capital italiana, 'destronou' a romena Simona Halep do segundo lugar, enquanto Navarro, que continua a ter no currículo o troféu do Portugal Open de 2014 como único título do WTA, subiu até ao oitavo posto, a sua melhor classificação de sempre. 

 
 

Michelle de Brito mantém o estatuto de melhor tenista portuguesa, figurando na lista de hoje no lugar 124, três posições acima relativamente à classificação da semana passada. 



Lusa

  • Roger Moore, o ator que foi 007 e um Santo
    1:26

    Cultura

    Morreu Roger Moore. O ator britânico tinha 89 anos e morreu na Suíça, vítima de cancro. Ficou conhecido pelo mítico papel de James Bond entre os anos 70 e 80, tendo sido o ator que mais tempo se manteve no papel. Em 2003, foi condecorado pela rainha Isabel II e tornou-se Sir Roger Moore.

  • Ucrânia limita utilização do russo na televisão

    Mundo

    O Parlamento da Ucrânia aprovou esta terça-feira uma lei que determina que três quartos dos programas televisivos dos canais nacionais devem ser transmitidos em ucraniano, medida que visa limitar o uso da língua russa naquele país.