sicnot

Perfil

Desporto

Benfica apresenta proposta a Jorge Jesus apenas após a Taça da Liga

O presidente do Benfica falará com o treinador Jorge Jesus sobre o seu futuro somente depois da final da Taça da Liga de futebol, que se realiza na sexta-feira, disse na segunda-feira à Lusa fonte oficial do clube.

"Sei que vão dizer que passaram seis dias. Mas passaram mais de três anos depois do incêndio da Luz e ainda ninguém do Sporting repudiou ou lamentou aquele triste incidente", acusou, recordando o incidente do Benfica-Sporting de 2011. (Arquivo)

"Sei que vão dizer que passaram seis dias. Mas passaram mais de três anos depois do incêndio da Luz e ainda ninguém do Sporting repudiou ou lamentou aquele triste incidente", acusou, recordando o incidente do Benfica-Sporting de 2011. (Arquivo)

LUSA

Somente após a final da Taça da liga, Luís Filipe Vieira dará a conhecer a sua proposta ao treinador bicampeão nacional, cujo contrato com o Benfica termina no final da temporada.

Alguns órgãos de comunicação social têm noticiado que o presidente 'encarnado' já apresentou uma proposta de renovação a Jorge Jesus, que assumiu o cargo de treinador do Benfica em 2009.

O último jogo do Benfica esta época será a final da Taça da Liga, na sexta-feira, frente ao Marítimo, no Estádio Cidade e Coimbra.

Ao serviço do Benfica, Jorge Jesus foi três vezes campeão nacional, conquistou uma Taça de Portugal e quatro vezes a Taça da Liga.







Lusa
  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.