sicnot

Perfil

Desporto

Recurso do julgamento de Pistorius analisado em novembro

O julgamento do ex-atleta paralímpico Oscar Pistorius, que cumpre cinco anos de prisão por ter morto a namorada, será reanalisado em novembro a pedido da procuradoria sul-africana, que defende uma pena mais pesada, afirmou hoje fonte judicial.

© POOL New / Reuters

"Não está marcada uma data precisa, mas podemos confirmar que o recurso será analisado em novembro deste ano", disse à agência France Presse fonte do supremo tribunal de recurso da África do Sul. 

Um responsável dos serviços correcionais adiantou hoje que está marcada para agosto a passagem de Pistorius a prisão domiciliária, quando o atleta cumpre dez meses de prisão.

"Foi recomendado o regime de supervisão correcional a partir de 21 de agosto", o que deverá significar "prisão domiciliária com uma hora de liberdade por dia", condições que serão progressivamente aligeiradas, afirmou Zach Modise.

A nova análise do julgamento será um procedimento escrito, sem nova convocação de testemunhas.

A modelo Reeva Steenkamp tinha 29 anos quando foi morta por Oscar Pistorius durante a noite de 13 para 14 de fevereiro de 2013, que disparou quatro balas contra a porta da casa de banho onde ela se encontrava.

O atleta paraolímpico afirma desde o início que a matou por acidente, por julgar tratar-se de um ladrão, e em primeira instância o tribunal considerou não ter elementos suficientes para rejeitar essa versão e condenou-o por "homicídio involuntário".

O ministério público considera, no entanto, que a lei foi mal interpretada e que Pistorius deveria ter sido condenado por "homicídio", passível de uma pena mais pesada, já que ele próprio reconheceu pensar que um ser humano estava por trás da porta que crivou de balas.

A questão é saber se o atleta, com seis medalhas de ouro, tinha consciência de poder matar alguém ou se a juíza teve razão em setembro de 2014 ao decidir que ele só tinha demonstrado "negligência".

Com 28 anos, o atleta pode ser libertado sob controlo judicial a partir de agosto, desde que a administração penitenciária sul-africana avalie o seu caso e lhe dê "luz verde".

"Não penso que seja suficiente para alguém que causou a morte de outra pessoa", reagiu em maio June Steenkamp, a mãe de Reeva, em declarações ao Sunday Times.

Se for considerado culpado de "homicído", o atleta conhecido como "Blade Runner" devido às lâminas de carbono que usa para correr arrisca uma pena de 15 anos de prisão.



Lusa
  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário ou ainda esta sexta-feira, em formato online.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.