sicnot

Perfil

Desporto

Município de Paris dá "luz verde" para ampliação de Roland Garros

A cidade de Paris vai mesmo avançar com a construção de um novo complexo de Roland Garros, que passará dos atuais 8,5 hectares para 12,5 na edição de 2019, confirmou hoje a presidente da câmara, Anne Hidalgo.

© Reuters Staff / Reuters

"Hoje mesmo foi assinada a autorização de construção que pemite a extensão de Roland-Garros", disse Hidaldo ao canal BFM TV. 

A ampliação das infraestruturas, que tem sido criticada por organizações ambientalistas, tem um orçamento de 400 milhões de euros e servirá igualmente para ser incluída na candidatura de Paris aos Jogos Olímpicos de 2024.

Na semana passada já tinha sido assegurado o apoio do Governo francês, saindo-se assim de um impasse que durava há anos. Com a autorização camarária, a Federação Francesa de Ténis estima que as obras comecem ainda este ano.

As mudanças permitirão, nomeadamente, que haja menos jogos suspensos pela chuva ou por falta de luz natural, já que se avança para coberturas e iluminação dos campos.

O torneio, que se disputa desde 1920, é visitado anualmente por 460 mil pessoas, o que faz dele o menos concorrido dos torneios do 'Grand Slam'.

Entre as principais críticas dos ecologistas está o facto de, na ampliação, um novo campo chegar ao Jardin des Serres de Auteuil, criado em 1897 pelo arquiteto Jean Camille Formigé, como um dos quatro polos do Jardim Botânico e classificado como monumento natural.

Lusa
  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05