sicnot

Perfil

Desporto

Liverpool anuncia contratação do brasileiro Roberto Firmino

O Liverpool contratou, num vínculo a "longo termo", o futebolista internacional brasileiro Roberto Firmino, que na última época representou os alemães do Hoffenheim, anunciou hoje o clube inglês.

Nabor Goulart/AP

"O jogador, de 23 anos, assinou um contrato a longo termo", referiu o Liverpool numa nota publicada no seu site oficial, explicando que o mesmo está condicionado a uma avaliação médica a efetuar "imediatamente após a participação na Copa América com a Brasil".

O clube inglês, que terminou a liga inglesa em sexto lugar, não especifica a duração do contrato, mas de acordo com a televisão BBC o mesmo será de cinco anos, numa transferência que terá custado 41 milhões de euros.

Uma situação que faz com que esta seja a segunda transferência mais cara do Liverpool, depois da contratação ao Newcastle, em 2011, de Andy Caroll, atualmente no West Ham, por 49 milhões de euros.

No Hoffenheim, Roberto Firmino fez 151 jogos em quatro épocas e meia e marcou 47 golos.


Lusa
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras