sicnot

Perfil

Desporto

Manuel Machado diz que Nacional é candidato à Europa "por estatuto"

O treinador do Nacional assumiu hoje que a equipa lutará pela Europa na I Liga de futebol, pelo estatuto que tem e apesar de ter afirmado ser ainda muito cedo para estabelecer comparações com outros candidatos.

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

JOSE COELHO

Manuel Machado considerou "uma aberração" o facto de o mercado de transferências vigorar até ao final de agosto, numa altura em que o campeonato já está em marcha.

"Ainda não podemos analisar o valor do nosso grupo de trabalho, nem das restantes equipas que lutam pelo mesmo objetivo. Contudo, há 14 anos na I Liga, tivemos 50% de aproveitamento, no que toca às participações europeias. Por estatuto, jogamos para isso, mas há concorrência e ainda não conhecemos o valor das equipas, porque estamos ainda no início da preparação", destacou Manuel Machado, em conferência de imprensa.

O facto de a Madeira ter agora três equipas (Nacional, Marítimo e União da Madeira) na I Liga, é algo que o treinador do Nacional exalta: "Prestigia o desenvolvimento e política desportivas regionais, porque o futebol é embaixador e promotor do nome da Madeira,  que fica mais dilatado com a presença do União."

Para Machado, o campeonato interno "conta muito, porque há rivalidade".

"Da nossa parte, tudo faremos para, tal como nos últimos anos, sermos a equipa mais cotada, ou melhor classificada, entre as madeirenses, é isso que também iremos tentar fazer esta época", observou.

Relativamente ao calendário, o técnico aplaude um ou dois benefícios: "Não me prendo ao calendário, mas há duas ou três referências a fazer: jogos mais separados com os 'grandes', o que nos permite alguma folga, para além disso, há duas fases em que podemos permanecer na Madeira durante cerca de um mês, já que há quatro jogos em casa, com os dérbis, e ficamos salvaguardados de viagens aéreas", explicou.

Por existirem ainda algumas interrogações relativamente a jogadores que poderão sair, Manuel Machado afirma que "felizmente a equipa tem produzido bons jogadores e, vir para o Nacional, é bom, porque é um clube que promove", destacou.

Depois de rejeitar opinar sobre o sorteio dos árbitros, o treinador da equipa da Choupana espera que o campeonato tenha mais candidatos ao título.

"O Sporting é ainda uma interrogação, mas Jorge Jesus acrescenta alguma coisa ao potencial do Sporting, que deverá ter jogadores de maior calibre para competir com Benfica e FC Porto. Sendo assim, o futebol português fica a ganhar", afirmou, a concluir.

 

 

 

 

 

Lusa

Lusa

  • Debate quinzenal com o primeiro-ministro

    País

    Dia de debate quinzenal na Assembleia da República, que deve ficar marcado pela saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo. Veja aqui em direto e acompanhe a discussão no Minuto a Minuto SIC/Parlamento Global.

    Direto

  • Morreu Roger Moore

    Cultura

    O ator britânico Roger Moore, conhecido pelos filmes de James Bond e a série "O Santo", morreu hoje, na Suíça, na sequência de um cancro. Tinha 89 anos.

  • Dois em cada três idosos em Portugal são sedentários

    País

    É a camada da população mais inativa e com comportamentos que revelam um estilo de vida menos saudável, segundo um estudo divulgado hoje, que analisou os dados de mais de 10.600 portugueses representativos da população, entre os quais mais de 2.300 pessoas com mais de 65 anos.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.