sicnot

Perfil

Desporto

Presidentes aprovam voto de confiança à continuidade de Luís Duque na liderança da Liga

Os presidentes dos clubes reunidos esta terça-feira no Conselho de Presidentes da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) sufragaram, por unanimidade, um voto de confiança para a continuidade de Luís Duque na liderança do organismo.

O mandato de Luís Duque (2-E) termina hoje, uma vez que é nesta assembleia que vão ser votadas as alterações que estavam previstas aos estatutos da Liga, dando, assim, como terminada a missão com que o dirigente entrou no organismo.

O mandato de Luís Duque (2-E) termina hoje, uma vez que é nesta assembleia que vão ser votadas as alterações que estavam previstas aos estatutos da Liga, dando, assim, como terminada a missão com que o dirigente entrou no organismo.

ESTELA SILVA / Lusa

A moção de confiança foi apresentada pelo presidente do Gil Vicente, António Fiuza, que enalteceu o trabalho realizado por Luís Duque nos últimos nove meses de presidência da LPFP.

"Ele [Luís Duque] credibilizou a Liga, arranjou patrocínios e sentimo-nos na obrigação de lhe dar um voto de confiança. Não houve um voto contra, uma abstenção. Acredito que a maioria está com o Luís Duque para um novo mandato", disse Fiuza.

O mandato de Luís Duque termina hoje, uma vez que é nesta assembleia que vão ser votadas as alterações que estavam previstas aos estatutos da Liga, dando, assim, como terminada a missão com que o dirigente entrou no organismo.

No entanto, perante o voto de confiança dos clubes, Luís Duque deverá ser o candidato consensual para o próximo ato eleitoral, que agora terá de ser convocado em assembleia-geral.

"Estamos gratos ao bom trabalho e desempenho dele, além de ter arranjado patrocinadores, de ter credibilizado e apaziguado conflitos que estavam na Liga", disse o dirigente minhoto.

Ainda neste Conselho de Presidentes ficou definido que este órgão consultivo criado no mandato de Fernando Gomes desaparecerá na nova estrutura diretiva.

Neste reunião em Santa Maria da Feira, o único clube da I Liga que não está representado é o Vitória de Setúbal, enquanto Luís Filipe Vieira é o único presidente dos três 'grandes' que marcou presença. Na II Liga não estão presentes Famalicão, Olhanense, Portimonense, Mafra, Leixões, Covilhã, Académico de Viseu e Atlético.

Lusa

  • Partidos exigem explicações sobre transferências para offshores entre 2011 e 2014

    Economia

    O PS junta-se ao PCP, o Bloco de Esquerda e o PSD no pedido para a audição urgente do antigo e o atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sobre a falta de controlo do Fisco às transferências de dinheiro para paraísos fiscais. Em causa está a transferência de 10 mil milhões de euros para offshores. O CSD é o único partido que ainda não se pronunciou.