sicnot

Perfil

Desporto

Árbitro internacional madeirense Marco Ferreira abandona a arbitragem

O árbitro internacional madeirense Marco Ferreira anunciou hoje, através das redes sociais, o final da sua carreira como árbitro de futebol.

LUSA

Numa época que ficou marcada pelo último lugar da classificação e consequente despromoção à segunda categoria, embora tenha sido nomeado para arbitrar a final da Taça de Portugal, Marco Ferreira decidiu-se pelo termo da carreira.

Numa mensagem longa, o árbitro madeirense dirigiu críticas ao "sistema", considerando "ter levado um cartão vermelho por ter caráter, por ser sério e por não pactuar com injustiças".

Na mensagem difundida, Marco Ferreira agradeceu o apoio recebido, realçando que "foram muitos os amigos que quiseram deixar uma palavra de amizade", sublinhando ter "dedicado 20 anos a esta nobre causa, sendo nove deles no futebol profissional". Marco Ferreira frisou ainda que não se arrepende de nada, nem de nenhuma palavra que disse contra o "sistema enraizado".

Explicou ainda o porquê de sair agora: "Saio para poder ganhar a minha liberdade de expressão e acabar com as pessoas que destruíram e continuam a destruir anos e anos de conquistas que a arbitragem portuguesa alcançou."

O árbitro, que ainda na temporada 2013/2014 foi o segundo melhor árbitro português, logo atrás de Pedro Proença, ressalva, por fim, que "todos se queixam, mas infelizmente só o fazem no silêncio".

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52