sicnot

Perfil

Desporto

Árbitro internacional madeirense Marco Ferreira abandona a arbitragem

O árbitro internacional madeirense Marco Ferreira anunciou hoje, através das redes sociais, o final da sua carreira como árbitro de futebol.

LUSA

Numa época que ficou marcada pelo último lugar da classificação e consequente despromoção à segunda categoria, embora tenha sido nomeado para arbitrar a final da Taça de Portugal, Marco Ferreira decidiu-se pelo termo da carreira.

Numa mensagem longa, o árbitro madeirense dirigiu críticas ao "sistema", considerando "ter levado um cartão vermelho por ter caráter, por ser sério e por não pactuar com injustiças".

Na mensagem difundida, Marco Ferreira agradeceu o apoio recebido, realçando que "foram muitos os amigos que quiseram deixar uma palavra de amizade", sublinhando ter "dedicado 20 anos a esta nobre causa, sendo nove deles no futebol profissional". Marco Ferreira frisou ainda que não se arrepende de nada, nem de nenhuma palavra que disse contra o "sistema enraizado".

Explicou ainda o porquê de sair agora: "Saio para poder ganhar a minha liberdade de expressão e acabar com as pessoas que destruíram e continuam a destruir anos e anos de conquistas que a arbitragem portuguesa alcançou."

O árbitro, que ainda na temporada 2013/2014 foi o segundo melhor árbitro português, logo atrás de Pedro Proença, ressalva, por fim, que "todos se queixam, mas infelizmente só o fazem no silêncio".

Lusa

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Dijsselbloem mostra algum arrependimento mas recusa demitir-se
    2:40

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas escusa-se a comentar essa possibilidade. Para já, o holandês não se demite do cargo. Esta quinta-feira ouviu as críticas dos eurodeputados no Parlamento Europeu.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.