sicnot

Perfil

Desporto

Ministério da Justiça suíço comunica extradição de dirigente da FIFA para os EUA

Um dos sete responsáveis da FIFA detidos na Suíça desde 27 de maio, antes do congresso e eleições do organismo, foi extraditado para os Estados Unidos, informou o ministério da justiça da Suíça.

© Mariana Bazo / Reuters

"O primeiro dos sete responsáveis da FIFA que se encontram em custódia na Suíça foi extraditado para os Estados Unidos a 15 de julho", refere o comunicado, explicando que foi escoltado pela polícia norte-americana num voo para Nova Iorque.

Entretanto, o porta-voz do ministério explicou que o nome do responsável extraditado não pode ainda ser revelado.

Na semana passada, um dos dirigentes detidos aceitou a extradição, no âmbito de uma investigação norte-americana a corrupção na FIFA e que levou à detenção de vários elementos pouco antes das eleições.

Então foram detidos o uruguaio Eugenio Figueredo, vice-presidente da Confederação sul-americana e da FIFA, o costa-riquenho Eduardo Li, presidente da Federação da Costa Rica, e o brasileiro José María Marín, membro da Confederação sul-americana.

Outros detidos foram Costar Takkas, ex-secretário geral a Federação das Ilhas Caimão, e Jeffrey Webb, presidente da Confederação da América do Norte, Central e Caraíbas (CONCACAF), Julio Rocha, ex-presidente da Federação da Nicarágua, Rafael Esquível, presidente da Federação da Venezuela e membro executivo da Confederação sul-americana.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos acusa os dirigentes e ex-dirigentes detidos de associação criminosa e corrupção nos últimos 24 anos, com subornos que poderão ascender a 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

Lusa

  • Junta de Santa Maria Maior no centro de Lisboa contra despejos de idosos
    3:02
  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.