sicnot

Perfil

Desporto

Portugal no pote 1, França e Itália no pote 2 do sorteio da qualificação para Mundial2018

França e Itália foram "despromovidas" ao pote 2 do sorteio da zona europeia de qualificação ao Mundial2018 de futebol, com Roménia e País de Gales a assumirem, tal como Portugal, o estatuto de cabeças de série.

TATYANA ZENKOVICH/EPA

Tendo por base o ranking FIFA de junho, o pote 1, dos cabeças de série, vai ser constituído por Alemanha, Bélgica, Holanda, Portugal, Inglaterra, Espanha, Croácia, Roménia e País de Gales, com os dois últimos a serem a surpresa do alinhamento do sorteio confirmado hoje pela FIFA.

Numa subida "vertiginosa", os galeses, fruto dos bons resultados dos últimos meses, avançaram 12 posições no 'ranking' e são agora a 10.ª seleção da hierarquia da FIFA. Já a Roménia subiu quatro posições e ocupa agora o oitavo posto, logo atrás de Portugal, que é a sétima seleção de uma tabela liderada pela Argentina.

Fora do grupo de favoritos ficaram a Itália e a França, que foram despromovidas ao pote 2. Os italianos, tetracampeões mundiais, desceram quatro posições e são a 17.ª equipa da hierarquia, enquanto a França caiu 13 posições, para o 22.º posto.

O sorteio para a fase de qualificação do Mundial de Futebol de 2018, que se realizará na Rússia, decorre no sábado, na cidade de São Petersburgo.

Constituição dos potes da qualificação europeia:

- Pote 1: Alemanha, Bélgica, Holanda, Portugal, Roménia, Inglaterra, País de Gales, Espanha e Croácia.

- Pote 2: Eslováquia, Áustria, Itália, Suíça, República Checa, França, Islândia, Dinamarca e Bósnia-Herzegovina.

- Pote 3: Ucrânia, Escócia, Polónia, Hungria, Suécia, Albânia, Irlanda do Norte, Sérvia e Grécia.

- Pote 4: Turquia, Eslovénia, Israel, Irlanda, Noruega, Bulgária, Ilhas Faroé, Montenegro e Estónia.

- Pote 5: Chipre, Letónia, Arménia, Finlândia, Bielorrússia, Macedónia, Azerbaijão, Lituânia e Moldávia.

- Pote 6: Cazaquistão, Luxemburgo, Liechtenstein, Geórgia, Malta, São Marino e Andorra.

Lusa

  • Atentados na Catalunha estão relacionados, 14 mortos

    Ataque em Barcelona

    Uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Espanha, depois do atentado de ontem que fez 13 mortos em Barcelona. As operações de busca centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "Nas Ramblas, é como se nada tivesse acontecido"
    1:35

    Ataque em Barcelona

    Um atentado terrorista em Barcelona matou 13 pessoas e feriu cerca de 100. O ataque aconteceu na zona das Ramblas, quando uma carrinha avançou sobre quem circulava nessa grande via no centro da capital da Catalunha. O repórter Emanuel Nunes está em Barcelona e deu conta do regresso à normalidade nas Ramblas, logo às primeiras horas da manhã.

  • Barcelona abalada pelo terrorismo
    1:03
  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.