sicnot

Perfil

Desporto

Sporting esclarece que tempo de paragem de William Carvalho mantém-se entre 10 a 12 semanas

O Sporting esclareceu esta sexta-feira que a paragem do futebolista William Carvalho será de 10 a 12 semanas, devido a fratura na tíbia esquerda, referindo que o tempo em que o jogador vai estar afastado não será reduzido.

O médio William Carvalho tem estado fora dos trabalhos da equipa orientada por Jorge Jesus devido a uma fratura de stress da tíbia esquerda. (Arquivo)

O médio William Carvalho tem estado fora dos trabalhos da equipa orientada por Jorge Jesus devido a uma fratura de stress da tíbia esquerda. (Arquivo)

© Miguel Vidal / Reuters

"O tempo de recuperação da lesão do jogador William Carvalho não foi, nem será reduzido face ao inicialmente previsto, de 10 a 12 semanas", refere o boletim clínico dos 'leões'.

O Sporting salienta que o "tipo de fratura e a sua localização" determinam que o tempo de paragem do internacional português previsto inicialmente não seja encurtado.

O médio William Carvalho tem estado fora dos trabalhos da equipa orientada por Jorge Jesus devido a uma fratura de stress da tíbia esquerda.

A lesão do médio foi comunicada pelo Sporting no dia seguinte ao regresso do jogador aos trabalhos, depois de ter estado presente no Europeu de sub-21, com o clube a referir que o jogador se lesionou ao serviço da seleção e que não foi informado.

A Federação Portuguesa de Futebol informou que o médio "não apresentou queixas incapacitantes e nunca trabalhou de forma condicionada durante o Europeu de sub-21" e que é procedimento do organismo informar de imediato os clubes cujos jogadores sofrem lesões incapacitantes ao serviço das seleções nacionais.

Lusa

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • "Todas as decisões que tomei foi sempre a pensar no Sporting primeiro"
    2:08
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.